Recife: 16ª posição no ranking de cidades mais vulneráveis do mundo quando se trata de mudança climática. Foto: Reprodução

Recife: 16ª posição no ranking de cidades mais vulneráveis do mundo quando se trata de mudança climática. Foto: Reprodução

Reduzir a erradicação de árvores e apostar em combustíveis mais limpos são duas das medidas que a Prefeitura do Recife promete adotar a partir de agora para sair da 16ª posição no ranking de cidades mais vulneráveis do mundo quando se trata de mudança climática. O plano foi anunciado na manhã desta segunda-feira (26) pela gestão municipal.

O Plano de Redução de Gases de Efeito Estufa (GEE) foi elaborado com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU) e aponta as principais ações de combate às mudanças do clima na Capital.

Segundo o levantamento mais recente, foi registrada na capital uma redução de 266,9 mil toneladas de gás carbônico, entre os anos de 2014 e 2015. No entanto, eventos como a Copa do Mundo, com mais voos, e a ampliação do consumo de eletricidade, agravaram o cenário ambiental.

Conforme a PCR, o plano será construído, mapeando as necessidades e áreas que mais precisam de atenção. Serão feitas campanhas de conscientização, mitigação de impactos e adaptação de efeitos irreversíveis.

No conjunto estão também a adoção da bicicleta, energia solar, reciclagem e a construção de mais áreas verdes. A ideia é de que sejam políticas do poder público e também da iniciativa privada.

 

Da FolhaPE

Prefeitura do Recife. Foto: Reprodução/Google Maps

Prefeitura do Recife. Foto: Reprodução/Google Maps

Os secretários Antônio Alexandre (Planejamento Urbano) e Alexandre Rebêlo (Planejamento e Gestão) apresentaram ontem a reforma administrativa da Prefeitura do Recife, com redução de nove secretarias, passando de 24 para 15, e três órgãos da administração indireta, de 11 para oito, o que corresponde a uma redução de 35% na estrutura. Segundo os auxiliares, a expectativa é economizar R$ 81 milhões ao ano – orçamento anual da PCR é da ordem de R$ 4 bilhões ao ano.

Rebêlo afirmou que, posteriormente, haverá cortes em torno de 35% nos cargos comissionados – atualmente, são cerca de 2.600 servidores em comissão, segundo a PCR – e também de secretarias-executivas. Segundo a PCR, a redução de executivas ocorrerá em janeiro e será maior do que 40% – hoje, são 66.

A estrutura passará a contar com as secretarias de Finanças; Planejamento e Gestão de Pessoas; Governo e Participação Social; Saúde; Educação; Segurança Urbana; Desenvolvimento Social, Juventude e Direitos Humanos; Mulher; Cultura; Planejamento Urbano; Turismo, Esporte e Lazer; Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente; Mobilidade e Controle Urbano; Infraestrutura e Habitação; e Saneamento.

Com a reforma, a pasta de Imprensa passa a funcionar como Gabinete de Imprensa e a de Assuntos Jurídicos se incorpora à Procuradoria-Geral do Município. Há ainda entre os “órgãos de assessoramento imediato”, a Controladoria-Geral e o Gabinete de Projetos Especiais. Além das estruturas de apoio: gabinete do prefeito, do vice, assessoria especial e representação em Brasília e Relações Internacionais.

As atribuições de três pastas (Administração e Gestão de Pessoas, Planejamento e Gestão e Finanças) passarão a ser reorganizadas em duas: Planejamento e Gestão de Pessoas e a de Finanças. A de Governo e Participação Social absorve a de Relações Institucionais. Infraestrutura e Serviços Urbanos se funde à de Habitação. Já a de Desenvolvimento Social incorpora Juventude e Enfrentamento ao Crack e outras Drogas. Esta havia sido criada em 2015. A de Esportes é incorporada à de Turismo e Lazer.

Na administração indireta, Empresa de Urbanização do Recife (URB), Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb), Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) e Companhia de Serviços Urbanos do Recife (Csurb) deixam de ser empresas públicas e sociedades de economia mista e passam a ser autarquias.

Antônio Alexandre explicou que as mudanças de natureza jurídica poderiam proporcionar aos órgãos explorar atividades econômicas, com cobrança de tributos. Com estas alterações, a PCR visa economizar R$ 36 bilhões ao ano, só na questão tributária.

Os órgãos extintos são Instituto de Assistência Social e Cidadania (IASC), Administração do Ginásio de Esportes Geraldo Magalhães (AGEGM) e Autarquia de Saneamento do Recife (Sanear). O primeiro será incorporado à pasta de Desenvolvimento Social, Juventude e Direitos Humanos, o segundo será atribuição de Turismo, Esportes e Lazer e o último deixa de existir.

Alexandre destacou que o processo de readequação da estrutura da PCR começou em 2014, com algumas medidas de controle que resultaram numa economia de R$ 313 milhões e, no início deste mês, ajustes nos custeios de R$ 90 milhões para 2017. “Não é apenas uma medida de enfrentamento à crise, mas uma fase de adequação de ajustes da estrutura de administrativa em relação à crise que se arrasta há pelo menos três anos no País”, afirmou.

 

Da FolhaPE

Alepe promove audiência pública com o tema “Ocupações estudantis em instituições de ensino”. Arte: Reprodução

Alepe promove audiência pública com o tema “Ocupações estudantis em instituições de ensino”. Arte: Reprodução

Os movimentos de estudantes, que vêm ocupando centenas de escolas e faculdades em todo o País em oposição à reforma do Ensino Médio (Medida Provisória nº 746) e ao teto de gastos públicos (Proposta de Emenda à Constituição nº 55), serão tema de audiência pública na Assembleia Legislativa de Pernambuco. O debate foi proposto, em conjunto, pelas Comissões de Cidadania e de Educação da Casa e ocorrerá na manhã desta sexta-feira (18).

A PEC nº 55 prevê que, nos próximos 20 anos, os gastos da União (Executivo, Legislativo e Judiciário) só poderão crescer conforme a inflação do ano anterior. Já a MP nº 746, que foi tema de audiência pública na Alepe em outubro, estabelece mudanças no Ensino Médio brasileiro, com impactos no conteúdo e no formato das aulas.

Entre os convidados para o debate estão membros dos conselhos estudantis da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e da Universidade de Pernambuco (UPE), além de representantes do Ministério Público estadual.

 

Serviço:

 

Tema: “Ocupações estudantis em instituições de ensino”

Quando: Sexta (18), às 9h

Onde: Plenário da Assembleia Legislativa (Rua da União, 439, Boa Vista – Recife-PE)

 

ufrpe-sede

Campus UFRPE – Recife. Foto: Reprodução site da Rural

Foi deflagrada greve por tempo indeterminado por professores da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) nesta terça-feira (8). A Associação dos Docentes (Aduferpe) confirmou as informações e disse que realizou uma assembleia geral na última quinta-feira (3), com o intuito de discutir as demandas da classe e realizar a votação que resultou na aprovação da greve.

Segundo o órgão, ao todo foram 311 votos a favor, 43 votos contra e três abstenções.

protesto_sindserpe-foto-marlon-costa-pernambuco-press

Protesto de servidores públicos estaduais por reajuste salarial. Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Nesta sexta-feira servidores públicos estaduais de Pernambuco realizam protesto em frente ao Palácio do Campo das Princesas. O ato, organizado pelo Sindicato dos Servidores Públicos Civis de Pernambuco (Sindserpe) reúne trabalhadores dos setores administrativos de órgãos como secretarias e fundações.

Com narizes de palhaço, cartazes e instrumentos musicais eles ocuparam uma das faixas da via em frente à Praça da República para reivindicar reajuste salarial, aumento do valor do vale-alimentação e melhorias das condições de trabalho.

De acordo com o Sindserpe,  a categoria não recebe reajuste salarial há dois anos e há casos de funcionários recebendo valor inferior ao salário mínimo. Representantes da Casa Civil informaram que uma comissão dos manifestantes deve ser recebida para entregar a pauta de reivindicações.

Foto: Arthur Mota / Folha de Pernambuco

Foto: Arthur Mota / Folha de Pernambuco

O prefeito reeleito do Recife Geraldo Julio (PSB) consolidou uma vitória neste domingo (30), que quase chegou a ocorrer no primeiro turno, quando obteve 49% dos votos. No segundo turno conseguiu vencer com 61,30 % dos votos contra 38,70% do seu adversário João Paulo. Geraldo Julio computou 528.335 votos, enquanto João Paulo, 333.516. Foram 33.589 votos em branco (3,46%) e 76.523 nulos (7,87%). O percentual de abstenção alcançou 13,16% – 147.282 eleitores não foram votar.

Tanto no primeiro quanto no segundo turno as eleições do Recife foram caracterizadas pelo polarização entre os dois candidatos. No começo da campanha João Paulo chegou a ficar empatado tecnicamente com Geraldo Julio, mas o socialista conseguiu se distanciar do seu adversário no decorrer do pleito.

A estratégia de mostrar as intervenções realizadas em sua primeira gestão, de atribuir o problema da crise nacional a alguns percalços em suas administração, e o número de inserções e tempo de guia eleitoral foram pontos favoráveis a Geraldo Julio.

O discurso anti-PT também ajudou em manter distância de João Paulo no pleito. A comparação entre as duas gestões foi outra característica da campanha. Os dois discursavam e debatiam nos programas de TV, em demasia, sobre o legado de suas administrações e tentavam desconstruir um ao outro.

A estratégia não surtiu o efeito esperado por João Paulo que não conseguiu diminuir a distância do seu adversário em todo segundo turno. A rejeição maior a sua figura pública também contribuiu para sua derrota.

 

 

Fonte: Alex Ribeiro/FolhaPE

joao-paulo-e-geraldo-julio-fotos-de-gustavo-bezerra-pt-humberto-pradera-psb

João Paulo (PT) e Geraldo Júlio (PSB) Fotos de Gustavo Bezerra/PT – Humberto Pradera/PSB

O último debate entre o prefeito Geraldo Julio (PSB) e o ex-prefeito João Paulo (PT), candidatos à Prefeitura do Recife, foi morno, com uma sucessão de comparações entre as duas administrações. Os dois enfrentaram-se na noite desta sexta-feira (28), na TV Globo.

As críticas –bem mais contidas que no debate do dia anterior– se deram quando o candidato do PT comentava a atual administração e quando Geraldo analisava os oito anos em que João Paulo administrou a cidade.

As polêmicas começaram quando eles trataram dos índices de segurança e das condições das escolas municipais.

“A única fez que o Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) teve queda foi durante a gestão dele”, criticou Geraldo Julio.

“O candidato tenta esconder a péssima realidade da educação na cidade do Recife”, rebateu João Paulo.

O ex-prefeito do Recife lembrou o aumento da insegurança na cidade. O atual prefeito culpou a crise econômica como motivo para o crescimento da violência e disse que a culpa disso era do PT.

Geraldo Julio voltou a ser chamado de “vendedor de ilusões” e “ingrato” por João Paulo. “Ele é um ingrato declarado”, afirmou o petista.

“Você desconhece tudo o que o PT faz. Você trabalhou no nosso governo.

Você teve quadros do nosso governo. Você tenta desconhecer tudo o que fizemos aqui”, disse, chamando o candidato do PSB de “robozinho”, por causa do estilo de fala do prefeito.

O candidato do PSB ironizou o adversário. “O candidato do PT já começa a perder a calma”, disse Geraldo. “Nada do que a gente fez presta. Ele bota gosto ruim em tudo.”

Enquanto João Paulo listava recursos federais repassados para o município e não utilizados, segundo o petista, Geraldo Julio citava obras nacionais não concluídas pelas administrações dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff.

João Paulo também acusou Geraldo Julio de “maldade” com os servidores municipais. Geraldo Julio disse ter feito “muitos concursos”, além de ter concedido reajuste acima da inflação.

Pesquisa Datafolha divulgada na terça-feira (25) aponta que Geraldo Julio tem 59% das intenções de votos válidos contra 41% de João Paulo Lima (PT). O resultado é praticamente igual ao da pesquisa anterior, de 11 de outubro, que apontava Geraldo com 58% contra 42% de João Paulo.

Considerando os votos gerais, incluindo brancos, nulos e indecisos, o prefeito subiu de 47% para 50% das intenções de voto. O petista manteve 34%.

 

 

Fonte: Uol / Daniel Carvalho

policia-militar-pe-01

Os eleitores do Recife, de Olinda, Jaboatão dos Guararapes – Região Metropolitana – e de Caruaru, no Agreste, vão no próximo domingo (30) às urnas para escolher quem governará as cidades pelos próximos quatro anos. No intuito de garantir que as votações ocorram sem problemas, a Secretaria de Defesa Social (SDS) montou um esquema especial para o segundo turno das eleições municipais. Para tanto, serão empregados 4.145 policiais militares e civis nos quatro municípios pernambucanos. Os números foram apresentados em coletiva, na manhã desta sexta-feira (28).

O efetivo será distribuído da seguinte forma: serão empregados 3.334 policiais militares nos municípios da Região Metropolitana. Na Polícia Civil, funcionarão 11 delegacias de plantão. Em Caruaru, serão empregados 584 policiais militares e 49 policiais civis. Também serão ativadas quatro delegacias de plantão. As quatro cidades ainda vão contar com o reforço de quatro equipes do Comando de Operações e Recursos Especiais (Core) da Polícia Civil.

Lei Seca
De acordo com o chefe da Polícia Civil, Antônio Barros, não foi notificada nenhuma determinação do Judiciário decretando qualquer Lei Seca nos municípios que terão segundo turno. “Então, não há determinação do Judiciário e também a Secretaria de Defesa Social não há nenhuma determinação nesse sentido”, afirmou. A decisão fica a cargo do juiz eleitoral de cada município.