Policiais da Operação Força no Foco no auditório do Centro de Inclusão Digital, em São José do Egito. Foto: Divulgação

Policiais da Operação Força no Foco no auditório do Centro de Inclusão Digital, em São José do Egito. Foto: Divulgação

Nas primeiras horas dos dias 22 e 23, foi desencadeada na cidade de São José do Egito, a operação Força no Foco, coordenada pelo Delegado Especial de Polícia Dr. Edson Augusto, com apoio da 20ª DESEC, e do 23 BPM.

A operação visa a elucidação de homicídios, bem como o combate ao tráfico de drogas ilícitas na cidade.

Foram cumpridos até o momento 10 mandados de busca e apreensão domiciliar, e 2 mandados de prisão, bem como foram feitas várias oitivas na Delegacia de Policia, objetivando a elucidação de crimes de homicídio outrora ocorridos na cidade.

A operação Força no Foco também contou com a participação do Corpo de Bombeiros, que fiscalizou bares na cidade, tendo sido feita a interdição de seis estabelecimentos.

 

Nill Júnior

Na manhã deste domingo (12), a Polícia Federal cumpriu 31 mandados, entre condução coercitiva e busca e apreensão em 13 estados. Foto: ABr

Na manhã deste domingo (12), a Polícia Federal cumpriu 31 mandados, entre condução coercitiva e busca e apreensão em 13 estados. Foto: ABr

Em Pernambuco, foi cumprido apenas um mandado de condução coercitiva. Um candidato foi detido em São José do Egito, no Sertão pernambucano, a 404 quilômetros do Recife, logo após fazer a prova. Ele prestou depoimento na delegacia de Patos, na Paraíba, a 63 km de São José, e em seguida liberado.

Renato Madsen, delegado da Polícia Federal que conduz as investigações em Pernambuco disse que a PF começou a levantar esses históricos de alguns elementos que levantavam suspeitas. “Por exemplo pessoas que já tinham sido aprovadas em outras provas do Enem para cursos de alta dificuldade e que estavam de novo fazendo a prova”, afirmou o delegado. Juntando essas informações com outros dados, a polícia conseguiu identificar esses 31 suspeitos.

O delegado Renato Madsen disse ainda que não houve qualquer prejuízo às provas aplicadas no Estado. As investigações irão prosseguir e deve haver novos desdobramentos nos próximos dias.

 

Com informações do JC Online

Posto de coleta de armas de fogo estará em SJE sexta e sábado próximos. Foto: Divulgação

Posto de coleta de armas de fogo estará em SJE sexta e sábado próximos. Foto: Divulgação

Na próxima sexta (30) e no sábado (1º) a Polícia Militar de Pernambuco estará com posto de coleta de armas de fogo da campanha do desarmamento em São José do Egito.

Uma van ficará estacionada das 8h às 17h na Rua Gov. Walfredo Siqueira (Rua da Baixa) – próximo a Mercearia de Dona Mocinha – recolhendo armas de fogo de forma voluntária.

Quem tiver arma de fogo em casa e quiser entregá-la deve dirigir-se ao posto de coleta mesmo ela estando sem registro. Não há necessidade de identificação do proprietário da peça.

Devolvendo uma arma de fogo o proprietário pode receber indenização em valores que variam de R$ 150,00 a R$ 450,00, dependendo.

É importante lembrar que quem desejar entregar arma de fogo deve preencher requerimento eletrônico de guia de trânsito disponibilizado no site do Ministério da Justiça. A obtenção dessa guia é obrigatória. Somente com ela o cidadão poderá transportar a arma até o local da entrega sem o risco de tê-la apreendida pela polícia durante o trajeto.

 

Com informações de Erbi Andrade

Delegado Ubiratan Rocha foi entrevistado por Nill Júnior, na Rádio Pajeú. Foto: Blog Nill Júnior

Delegado Ubiratan Rocha foi entrevistado por Nill Júnior, na Rádio Pajeú. Foto: Blog Nill Júnior

O Delegado Ubiratan Rocha disse em entrevista ao Debate das Dez da Rádio Pajeú que discorda radical e frontalmente da Portaria 2497, assinada em 24/05/2017 pelo Secretário de Defesa Social Antonio Gioia, que om transferiu da Delegacia de São José do Egito para Sertânia, no Moxotó. O Delegado procurou o programa para externar sua insatisfação.

Segundo Rocha, a decisão teria sido fruto da “condução arbitrária e autoritária” do Delegado Regional Jorge Damasceno. A portaria define como motivação para a saída de Ubiratan a necessidade de “promover o relacionamento e parceria entre as corporações de segurança pública”. Diz ainda que “o comportamento da referida autoridade policial estás comprometendo a disciplina e causando transtorno à gestão, o que deste modo inviabiliza a permanência nesta região”.

Diz o Delegado que a portaria o atinge moralmente e que lutará até o fim para defender seu nome e atuação na Polícia Civil. Ele confirmou que ingressará com Mandado de segurança parta reverter a decisão, bem como ingressará com pedido de indenização por danos morais. Na versão por ele apresentada, a questão teria relação com uma determinação para que qualquer conduzido à Delegacia de São José do Egito fizesse antes exame traumatológico. “É um procedimento de praxe por exemplo para que se ingresse à cadeia”, justificou.

A decisão teria gerado insatisfação do Regional, que teria passado a pressioná-lo para reverter a determinação. “A partir daí ele chegou a dizer que eu o proibi de usar as dependências da Delegacia o que não é verdade”. Dia 19 de abril – afirma o Delegado – uma reunião com o Diretor da Dinter II José Rivelino e o Regional Damasceno tentou demovê-lo da decisão. “Não voltei atrás. Desde 19 de abril soube eu seria transferido”. Afirmou ter apoio dos colegas. “Vários não querem assumir a Delegacia pela distância ou porque me apoiam. Há 40 dias ninguém quer assumir. Nos apoiam mas não falam com medo do militarismo”.

O Delegado defendeu sua atuação a frente da Delegacia. “São José não tem homicídios há um ano e dois meses. Dos 15 homicídios este ano, nenhum foi na cidade. Passei a integrar uma força tarefa de combate a assaltos a bancos no Estado. O Coordenador pediu nossa permanência mesmo depois da transferência”. Ele também falou de Operações que coordenou como “Ades”, “Mercúrio” e “Pombo Correio”. E disse que nas passagens por Tabira e Afogados, assim como quando assumiu internamente a regional, teve apoio dos colegas, agentes e escrivães.

Ubiratan afirmou que outros dois colegas, os Delegados Edson Augusto e Paulo Andrade também teria sido transferidos por perseguição.

Ele questionou a falta de informações como a Comunicação Interna (CI) que teria motivado seu afastamento. “Até agora não recebi nem CI de transferência. A portaria o Dr Jorge guardou no gabinete. Agiu de forma arbitrária, autoritária como conduz a seccional”.

A Associação de Delegados de Polícia  do Estado de Pernambuco (ADEPPE) foi comunicada segundo o Delegado. “Já temos documentos para ingressar com Mandado de Segurança. Falta ter ciência da CI, essencial para meu direito de defesa”.

O Delegado afirmou não ter problemas com Sertânia, para onde foi transferido. “A questão é a forma. Desde fevereiro eu costurava ida para Petrolina, porque minha esposa iria para Policia Científica. Assumiria o DEPATRI. Em meio a essa questão fui consultado sobre antecipar minha ida. Mas agora não quero ir”, afirmou.

 

Nill Júnior

Na imagem, a balsa que foi roubada. Foto: Divulgação/Compesa

Na imagem, a balsa que foi roubada. Foto: Divulgação/Compesa

A coordenadora do escritório da Compesa em São José do Egito, Rúbia de Freitas, entrou em contato com o blog para informar que a balsa da bomba flutuante do açude São José II, que vem abastecendo a cidade, foi roubada. A bomba havia sido retirada para conserto.

A empresa agora pede a quem tiver qualquer informação que faça denúncia, mesmo que anônima, pelo fone (87) 3844.3433 ou ligue para a polícia.

Até que outra chegue para substituir a que foi roubada a comunidade será prejudicada com o não fornecimento de água.

Segue a nota:

__________________

O abastecimento de água de São José do Egito estava sendo do Açude são José II por meio de uma bomba flutuante lá instalada, porém  a mesma queimou na última  quarta feira e foi retirada para conserto em Afogados da Ingazeira, com previsão de conserto na próxima terça feira. No entanto, hoje pela manhã nossos colaboradores ao irem verificar se havia pego água no referido açude, verificaram que a balsa que serve de sustentação dá bomba havia sido roubada. Com isso, vai demorar muito mais para instalar novamente e com isso a população toda será prejudicada.

Pedimos divulgação do fato ocorrido na mídia, de forma a esclarecer a situação à população e pedir que se alguém viu quem furtou, ou souber do paradeiro dessa balsa que comunique à polícia, ou mesmo à Compesa para providencias e assim resolver mais urgentemente o problema do abastecimento à população de São José do Egito.

 

Rúbia de Freitas

Trecho da BR-101, na Paraíba. Reprodução: Google Street View

Trecho da BR-101, na Paraíba. Reprodução: Google Street View

Mais de 1.000%. Esse é o número apontado pela Polícia Civil, como registro de aumento na apreensão de drogas vindas do Rio Grande do Norte para a Paraíba através da rodovia BR-101. Além da Polícia Civil, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e a Polícia Federal (PF) também registram aumento de prisões e apreensões no tráfico. Os dados são comparativos entre 2015 e 2016 e revelam a necessidade de maior fiscalização e mais policiais na divisa paraibana.

As drogas que circulam entre Paraíba e Rio Grande do Norte, via BR-101, são maconha, a cocaína e o crack, de acordo com o chefe da Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal na Paraíba, o delegado Bruno Rodrigues.

Porém, a rota do tráfico não começa em nenhum dos dois estados, mas em países vizinhos ao Brasil, como o Peru, a Bolívia e o Paraguai, responsáveis pela produção da maconha, cocaína e crack entregues no Rio Grande do Norte e enviadas à Paraíba.

“O caminho das drogas entre Natal e a Paraíba é basicamente feito pela BR-101. As drogas vêm do Peru, Paraguai e Bolívia, chega em Natal e é enviada a Paraíba aos ‘cuidados’ da organização criminosa ‘Okáida’, que é próxima ao Comando Vermelho e recebe as drogas que abastecem a Grande João Pessoa”, afirmou o delegado Bruno Rodrigues.

A rota do tráfico também é conhecida da Polícia Civil. Segundo o delegado Walter Brandão, chefe da Polícia Civil em Mamanguape (PB), os estados do Mato Grosso do Sul e de Rondônia funcionam como receptores de drogas estrangeiras e responsáveis por enviar os entorpecentes para Natal (RN).

 

Do Portal Correio

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

Serão beneficiados com o indulto de Natal cerca de 400 reeducandos do regime semiaberto de unidades prisionais da Região Metropolitana do Recife e interior de Pernambuco. O benefício será concedido por de execução penal e acontece de 21 a 28 de dezembro.

Segundo a Secretaria Executiva de Ressocialização (Seres), terão direito à saída temporária os reeducandos pertencentes ao grupo de menor potencial ofensivo. Eles serão monitorados por tornozeleiras eletrônicas. A medida faz parte do calendário anual do salvo-conduto temporário.

Esta semana a Secretaria de Ressocialização desmentiu boatos que circularam em redes sociais sobre existência de saída coletiva de Indulto de Natal em Pernambuco.

Operação Impacto ocorreu em JP, CG e Catolé do Rocha. Foto: Divulgação

Operação Impacto ocorreu em JP, CG e Catolé do Rocha. Foto: Divulgação

A Polícia Militar da Paraíba cumpriu oito mandados de prisão contra acusados de homicídios e roubos, apreendeu seis armas de fogo e retirou de circulação várias porções de cocaína, crack e maconha, bem como comprimidos à base de anfetamina, durante a 18ª edição da operação Impacto, realizada das 20h dessa sexta-feira (16) até as 2h da manhã deste sábado (17), nas cidades de João Pessoa, Campina Grande e Catolé do Rocha.

A operação mobilizou um reforço de 550 policiais e 122 viaturas, que foram auxiliados por drones da PM, que reforçaram as incursões nas comunidades para identificar a presença de suspeitos nesses locais. Dezenove pessoas foram detidas e encaminhadas até as delegacias por porte ilegal de arma, tráfico de drogas e em cumprimento aos mandados de prisão

Na Capital, onde a Impacto contou com mais de 250 policiais, dois adolescentes, de 17 e 16 anos, foram apreendidos em uma das ações realizadas por policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope). Os dois foram flagrados com um revólver, uma porção de maconha, sete de cocaína, 95 pedras de crack e vários comprimidos entorpecentes. A apreensão das drogas teve o apoio do cão Crazy, da raça Pastor-Belga, do canil do Bope.

Em Campina Grande, um adolescente de 13 anos foi apreendido com uma pistola calibre 380 no bairro do José Pinheiro. Ele é suspeito de atuar no tráfico de drogas do bairro e foi flagrado ainda com uma balança de precisão.

E na cidade de Catolé do Rocha, um homem de 30 anos foi preso com uma pistola após ser abordado, próximo a um posto de combustíveis. A arma estava na cintura do suspeito.

Mais de 6 mil pessoas e veículos foram abordados nas três cidades onde foi realizada a operação, segundo estimativa feita pela PM, que no período realizou blitzen, abordagens e incursões. Foram apreendidos 36 veículos com irregularidades, entre elas, queixas de roubos e furtos.

 

Do Portal Correio

Plenário da Alepe. Foto: Roberto Soares

Plenário da Alepe. Foto: Roberto Soares

Um pacote com reajuste e mudanças nas carreiras dos servidores da Polícia Civil foi aprovado pelo Plenário da Assembleia Legislativa nesta quarta (14). Os Projetos de Lei Complementar números 1.134/2016, 1.140/2016 e 1.144/2016, enviados em regime de urgência pelo Poder Executivo, foram aprovados em Primeira Discussão com as emendas acatadas na Comissão de Constituição, Legislação e Justiça na última terça (13).

As propostas melhoram o salário inicial e as condições de progressão funcional de agentes, peritos, escrivães, comissários, auxiliares legistas e auxiliares de peritos, e aumentam o salário-base de peritos criminais e médicos legistas. Já os delegados tiveram suas carreiras equiparadas salarialmente em relação a promotores e juízes.

No caso do PLC nº 1.144/2016, uma emenda apresentada pelo deputado Rodrigo Novaes (PSD) pretendia dar aos delegados cedidos a outros órgãos a possibilidade de promoção por mérito. A proposição teve 21 votos favoráveis e seis contrários, mas foi rejeitada porque deveria ter alcançado maioria absoluta (25 votos) para entrar em vigor. O parlamentar anunciou que irá protocolar uma nova emenda sobre o tema até a Segunda Discussão da matéria.

Ao debater a proposição na Ordem do Dia, Novaes salientou que a modificação atingiria apenas três delegados. “É uma questão de justiça e uma medida que quase não vai gerar impacto nos cofres estaduais”, defendeu. “Além disso, nós não definimos aqui que os profissionais em questão serão necessariamente promovidos por mérito. Apenas permitimos que isso possa ocorrer”, observou.

Em contraposição, o vice-líder do Governo, Lucas Ramos (PSB), foi autor de parecer na Comissão de Administração Pública contrário à emenda. Ramos ressaltou que “permitir a promoção por mérito para delegados que não estejam trabalhando na Polícia Civil seria uma injustiça com aqueles que correm risco de vida dentro da rotina policial”. O socialista também apontou que o impedimento à promoção de servidores cedidos é uma regra geral no Estado, com exceção apenas para os policiais militares.

Durante a discussão, também se manifestaram favoráveis à emenda os deputados Sílvio Costa Filho (PRB), Romário Dias (PSD), Antônio Moraes (PSDB), Joel da Harpa (PTN) e Teresa Leitão (PT). Aluísio Lessa (PSB) foi favorável à emenda, mas alertou que a medida poderia “fazer com que delegados quisessem desenvolver uma carreira longe da atividade policial”. Já Ângelo Ferreira (PSB) se disse contrário à proposição de Rodrigo Novaes.

 

Ficou decidido que a categoria continua em operação padrão e sem aderir ao Programa de Jornada Extra da Segurança Pública (PJES). Imagem ilustrativa / Reprodução

Ficou decidido que a categoria continua em operação padrão e sem aderir ao Programa de Jornada Extra da Segurança Pública (PJES). Imagem ilustrativa / Reprodução

A Polícia Militar e os Bombeiros militares de Pernambuco descartaram a possibilidade de greve. A decisão aconteceu em assembleia na frente do Palácio do Campo das Princesas, no Centro do Recife, na noite desta sexta-feira (9).

Representando a categoria, o deputado estadual Joel da Harpa reuniu-se no Palácio com o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), Guilherme Uchoa, e o líder do Governo na Alepe, Waldemar Borges. Após o encontro ficou decidido que a categoria continua em operação padrão e sem aderir ao Programa de Jornada Extra da Segurança Pública (PJES).

Ficou acordado com o Governo do Estado que representantes dos PMs e bombeiros militares serão recebidos, novamente, dia 4 de janeiro de 2017, para nova rodada de negociação.

Durante a tarde e parte da noite desta sexta, os policiais e bombeiros militares fizeram manifestação no Recife. Eles se reuniram na praça do Derby, área central da capital, para debater sobre pleitos da categoria, como equiparação salarial e o Plano de Cargos e Salários. Decidiram não deliberar sobre greve, para que o ato não fosse considerado ilegal. Saíram, depois, em caminhada por ruas do Centro, em direção ao Palácio do Campo das Princesas, sede do governo estadual, no bairro de Santo Antônio.

Logo no começo da assembleia na praça do Derby, o presidente e o vice da Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados Policiais e Bombeiros Militares (ACS) foram detidos, sob alegação de que estariam descumprindo decisão judicial. À noite, o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) publicou nova decisão estabelecendo aumento de R$ 100 mil para R$ 500 mil da multa diária por descumprimento da ordem de não se reunir para articular greve.

Também nesta sexta-feira, o presidente Michel Temer, atendendo à solicitação do Governo de Pernambuco, autorizou o uso de Forças Armadas para garantir a segurança no Estado caso os PMs deflagrassem greve. Estão de prontidão 3.500 homens do Exército, Marinha e Aeronáutica.