Neste sábado (18) o Debate na Cultura com o jornalista Geraldo Palmeira Filho teve diversos entrevistados. A pauta principal foi a vinda dos ex-presidentes Lula e Dilma amanhã às obras da transposição em Monteiro (PB) e as novas perspectivas da política em Pernambuco. Participaram a deputada estadual Teresa Leitão (PT), do presidente da Câmara de Vereadores de São José do Egito – Antônio Andrade (PSB) e a vereadora recifense Marília Arraes (PT).

Diversos políticos locais estiveram presentes acompanhando as conversas, entre eles o ex-prefeito Romério Guimarães (PT), o parlamentares petistas Alberto de Zé Loló e Aldo da Clipsi e os vereadores do Partido da República (PR) Albérico Tiago e David Teixeira.

Teresa Leitão falou sobre o evento que acontece em Monteiro e apresentou dados da obra da Transposição do São Francisco nos governos de Lula e Dilma. De acordo com a deputada foram os governos dos petistas que tornaram esse sonho dos nordestinos possível. Leitão estará acompanhando os ex-presidentes neste domingo (19).

Na conversa com Antônio Andrade foi discutida a forma como o vereador vem adotando para conduzir o legislativo local. O socialista disse que sua gestão se sustenta na transparência e que o cidadão já tem a certeza que nenhuma matéria que seja encaminhada para análise e votação, da prefeitura ou de qualquer vereador, será engavetada. Andrade posicionou-se totalmente contra a Reforma da Previdência e disse que há um Brasil antes e outro após Lula. O presidente da Câmara egipciense taxou o governo de Michel Temer de elitista e o chamou de golpista.

A vereadora pelo Recife Marília Arraes, acompanhada de assessores e da poetisa Mariana Teles, contou como se passou o processo de sua mudança de partido em 2016. A neta de Miguel Arraes integrava os quadros do PSB e mudou para o PT em tempo de candidatar-se a seu terceiro mandato pela sigla. Ela discorda das práticas da legenda socialista e percebe que a sua transferência de partido se deu por avistar possibilidades de um trabalho mais participativo.

Marília comentou sobre as especulações envolvendo seu nome para uma possível pré-candidatura ao governo de Pernambuco nas eleições de 2018 e deixou claro que não lançou seu nome nem tampouco está montando palanque.

Questionada sobre o que o Estado mais carece atualmente, foi firme na resposta: “Nosso estado precisa de um líder, precisa de um governador em que o povo confie”. Marília, enfática, ainda disse: “Hoje, Pernambuco vive como se não tivesse governador, como se tivesse alguém ali naquela cadeira esperando o governador voltar pra efetivamente governar o Estado”.

Geraldo Palmeira entrevista a vereadora Marília Arraes (PT). Foto: Henrique Villar

Geraldo Palmeira entrevista a vereadora Marília Arraes (PT). Foto: Henrique Villar

Marília Arraes, Romério Guimarães, Edvaldo Campos, Aldo da Clipsi, Eduy Ribeiro e Alberto de Zé Loló no estúdio da Rádio Cultura AM 1320 KHz

Marília Arraes, Romério Guimarães, Edvaldo Campos, Aldo da Clipsi, Eduy Ribeiro e Alberto de Zé Loló no estúdio da Rádio Cultura AM 1320 KHz

Presidente da Câmara SJE também foi entrevistado no debate deste sábado (18)

Presidente da Câmara SJE também foi entrevistado no debate deste sábado (18)

Painha falou sobre política e da construção da Faculdade Vale do Pajeú

Painha falou sobre política e da construção da Faculdade Vale do Pajeú

Neste sábado (11) o jornalista Geraldo Palmeira entrevistou na Rádio Cultura AM 1.320 KHz o advogado Cleonildo Lopes, conhecido como Painha. O profissional vem se destacando no segmento do Direito com seu escritório em Recife e está com seu nome em evidência em São José do Egito.

Há alguns que especulam que o advogado tem a intensão de candidatar-se a prefeito da Terra dos Poetas nas eleições de 2020. Evidentemente muito tempo ainda falta para o pleito, entretanto, em São José a política é frenética.

Na conversa com Palmeira, Painha, como prefere ser chamado, contou que desde criança teve contato com política. Seus pais sempre participaram de atividades em campanhas eleitorais e ele sempre estava junto. Em vários momentos fez questão de citar sua ligação com o ex-deputado Zé Marcos (PR), inclusive agradecendo por ter colaborado com sua formação quando estudava em Recife e residia em casa de estudantes.

Nas últimas eleições apoiou Dr. Romério Guimarães (PT), candidato a reeleição contra o atual prefeito Evandro Valadares (PSB). Painha analisa que faltou muito pouco para que o petista obtivesse êxito. Citou como fator negativo na campanha a sensação de “já ganhou” e disse que faltou mais diálogo com Zé Marcos.

Questionado se realmente objetiva candidatar-se a prefeito, considerou: “Quem não tem vontade de ser prefeito de São José do Egito?”. Painha considera ser muito cedo para tratar do assunto, citando que existem muitos nomes fortes que podem entrar na disputa, entre eles os ex-prefeitos Romério e Zé Marcos.

Um dos pontos fortes da entrevista, e amplamente aguardado, foi a divulgação, pela primeira vez à imprensa, da construção de uma faculdade em São José do Egito.

O advogado informou que em abril próximo estará convidando a sociedade para evento que lançará efetivamente o projeto. O terreno onde os prédios serão edificados já foi adquirido – fica logo após o Parque de Exposição José Custódio de Lima – e as obras de terraplanagem já estão sendo iniciadas. Outro ponto importante é que a documentação para a formalização do pedido de cursos, junto ao Ministério da Educação, já foi encaminhado e nos próximos dias novidades serão anunciadas.

Indagado sobre os primeiros cursos que devem fazer parte da estrutura, Painha informou que inicialmente serão ofertadas as graduações em Enfermagem, Ciências Contábeis, Administração de Empresas e Pedagogia, além de turmas de pós-graduação.

Quando concluída, a Faculdade Vale do Pajeú – como será chamada, terá 12 salas de aula, laboratórios, biblioteca e diversos outros setores.

Na conclusão da entrevista, perguntado sobre o que São José carece mais, Painha disse: “Ideias novas, que arestas políticas sejam esquecidas e que todos se unam, independentemente de cor partidária, para trazer empresas para o município”.

Todos os sábados, às 11h, a AM 1.320 KHz leva ao ar o Debate na Cultura.

Confira o vídeo realizado após a entrevista, onde Painha fala exclusivamente da futura Faculdade Vale do Pajeú:

O vereador José Aldo de Lima (PT), conhecido como Aldo da Clipsi, foi neste sábado o entrevistado do jornalista Geraldo Palmeira Filho na Rádio Cultura AM 1.320 KHz. Na pauta da política egipciense o foco continua sendo os bastidores da eleição da Mesa Diretora da Câmara, onde não há definição nem de um lado nem do outro de quem serão os candidatos de consenso. Outros pontos interessantes também foram abordados.

Na conversa foi pedido que o vereador fizesse uma análise e apontasse qual foi a falha cometida por seu grupo para que não obtivesse êxito na reeleição do prefeito Romério Guimarães. De pronto o parlamentar respondeu que “o excesso de confiança foi o causador desse resultado; não há como pensar diferente”.

Durante a entrevista o vereador fez defesa do governo de Dr. Romério, apontando obras e serviços que foram desenvolvidos nos quase 4 anos de mandato do petista.

Uma das matérias que vem causando mais repercussão na Câmara é o projeto que implanta o “Estatuto do Magistério”. Aldo da Clipsi disse que é favorável ao projeto enviado pelo Executivo na íntegra. Ele se opõe a emendar o documento. Nos últimos dias professores tem feito pressão para que o presidente da Câmara, Doido de Zé Vicente, coloque o projeto em votação. Doido tem dito que colocará, entretanto, defende que o item que trata de eleições para diretores seja modificado.

José Aldo disse ainda que fará uma oposição limpa, que fiscalizará todos os atos da gestão de Evandro Valadares. O parlamentar completou dizendo: “Subirei quantas vezes for preciso os degraus da prefeitura e conversarei com o futuro prefeito todas as vezes que forem necessárias”.

Sobre a eleição da Mesa Diretora, Aldo da Clipsi mais uma vez disse que poderá ser candidato. De forma mais enfática falou que “o fogo amigo é o que está atrapalhando mais o processo de união do grupo em torno desse tema”. Segundo ele, “o prefeito Romério e o ex-deputado Zé Marcos têm que participar mais do processo; têm que chamar mais os vereadores eleitos pra conversar”.

Aldo da Clipsi vai para seu segundo mandato na Câmara de São José do Egito. Nas últimas eleições ele obteve 924 votos.

Após a entrevista na emissora, ele também conversou com o Saojosedoegito.Net. Confira no vídeo:

vereadores-da-proxima-oposicao-confirmar-que-nao-migram-pra-grupo-de-evandroO jornalista Geraldo Palmeira Filho entrevistou neste sábado (29) seis vereadores eleitos dos sete que farão oposição ao futuro prefeito de São José do Egito, Evandro Valadares. Do Debate na Cultura (AM 1.320 KHz) participaram Alberico Tiago, Alberto de Zé Loló, Aldo da Clipsi, David Teixeira, Doido de Zé Vicente e Tadeu Gomes. Apenas Rona Leite não compareceu porque estava viajando.

Toda a entrevista girou em torno da eleição da próxima Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. Esse é o assunto que mais movimenta as rodas de conversas e os bastidores políticos da terra dos poetas. Quem será o presidente da Casa do Povo no biênio 2017-2018?

 

O que os vereadores eleitos disseram:

Albérico Tiago

“Estamos colocando nossos nomes para avaliação. Entraremos num consenso. Aquele que melhor representar nosso grupo será o escolhido. Faremos oposição de maneira propositiva.”

 

Alberto de Zé Loló

“Vamos no consenso. Somos um grupo e vamos estar juntos seguindo as orientações dos nossos líderes Dr. Romério Guimarães e do ex-deputado José Marcos de Lima.”

 

Aldo da Clipsi

“Vai ser muito criticado qualquer um do grupo de trair o conjunto. O povo nos elegeu pra estarmos nesse grupo. Temos que honrar essa confiança e fazermos a próxima oposição. O povo não vai entender traição.”

 

David Teixeira

“Todos do nosso grupo estão aptos a exercerem a presidência da Câmara. Não quero impor a minha candidatura. Estou disponível para dialogar com todos os meus colegas e vamos chegar a um resultado comum.”

 

Doido de Zé Vicente

“Estamos unidos, os 7 vereadores da próxima oposição, para fazermos a presidência da Câmara. Quero ser candidato à reeleição mas também posso votar em qualquer um do nosso grupo.”

 

Tadeu do Hospital

“O presidente tem que ser feito dentro do nosso grupo. Não há como 7 perderem pra 6. São 7 homens de palavra. Vamos fazer uma oposição coerente mas que sabe cobrar o que foi prometido. Tenho certeza que nenhum de nós vai trair a confiança do povo de São José do Egito.”

 

O momento mais polêmico:

Quando perguntado a todos se há alguma possibilidade de deixarem o atual grupo para integrarem o grupo do prefeito eleito Evandro Valadares na possibilidade de algum ser eleito presidente por ter migrado, a resposta de todos foi a mesma: “Não!”

Os 6 vereadores eleitos deixaram claro que em nenhuma hipótese votariam em candidato de Valadares ou trocariam de grupo para serem votados por parlamentares da próxima situação.

No vídeo a seguir você escuta as respostas de cada um dos entrevistados quando disseram que não mudarão de grupo.

geraldo-palmeira-filho-entrevista-savio-torres

Neste sábado o jornalista Geraldo Palmeira Filho entrevistou na Rádio Cultura AM 1.320 KHz o prefeito eleito de Tuparetama Sávio Torres. No programa Debate na Cultura o próximo gestor da “Princesinha do Pajeú” comentou sobre a campanha na qual disputou a prefeitura com Dêva Pessoa, os próximos passos antes da posse, o que deve ser priorizado no seu mandato (2017-2020) e sobre o futuro da política tuparetamense.

Sobre a campanha o político alegou que o período foi marcado por muitas agressões, mas que procurou sempre manter a calma e chegar ao fim do pleito em paz.

Torres, satisfeito com mais uma conquista, alfinetou: “Essa foi a primeira eleição na história de Tuparetama que um prefeito, em mandato, não foi reeleito”.

Ainda sobre a campanha, enfático, disse: “Lutei contra a máquina, com as mãos abanando e com dificuldades financeiras imensas. Além de tudo ele (Dêva) teve o apoio do Governo do Estado. Pra você ter uma ideia, ficou a disposição do prefeito uma máquina do IPA, numa troca muito escandalosa por votos. Eram três, quatro poços ao dia; foram feitos em Tuparetama cerca de 150 poços esse ano. Pra município daquele tamanho é muita coisa, pesa muito numa campanha, mas, mesmo assim, o povo entendeu que aquilo era dinheiro público, dinheiro do Governo do Estado e nos deu essa vitória”.

De acordo com Sávio um dos trunfos para o êxito nas eleições foi o seu desempenho administrativo quando gestor. Segundo seu relato, ele teve bem avaliados os dois mandatos de prefeito, concluídos em 2012. Pesquisas de consumo interno atestavam que seu governo era classificado com bom ou ótimo por cerca de 85% dos entrevistados. Sávio Torres frisou: “O povo reconheceu o trabalho que fiz”.

Sobre os eleitos para a Câmara o próximo prefeito disse que espera que “a bancada de oposição procure ajudar o mandato; o que não é ajudar Sávio Torres”.

Na entrevista Sávio elegeu a saúde como a área que ganhará os maiores investimento em sua próxima gestão.

Indagado sobre a formação de sua equipe, o prefeito eleito disse que será formado um grupo para definir os nomes dos titulares das secretarias e atestou que deve reduzir o número de pastas.

Na conversa deixou claro que não pensa em colocar seu nome para disputar pleitos futuros. Considerou que não pretende mais ser candidato e que durante esse seu mandato deseja preparar lideranças que venham como ideias novas para que possam substituí-lo. “Acho que a minha missão de ser candidato eu já cumpri nessa vida”, concluiu.