Faculdade Vale do Pajeú, em São José do Egito. Fotos: Jairo Rafael

Faculdade Vale do Pajeú, em São José do Egito. Fotos: Jairo Rafael

Notícia boa para o Pajeú! A Faculdade Vale do Pajeú, com sede em São José do Egito, recebeu na manhã desta quarta (11) o resultado da avaliação empreendida por técnicos especialistas do Ministério da Educação (MEC) durante a semana passada. De acordo com a divulgação, a FVP atingiu conceito 4 (escala de 0 a 5).

Com essa nota a instituição já se credencia para obter vantagens que podem beneficiar seus estudantes, entre elas um maior número de vagas no Fies e Prouni.

O diretor-presidente da FVP, Dr. Painha, comemorou o resultado obtido com a avaliação e disse: “Parabéns ao povo do Pajeú e a todos os envolvidos que se esforçaram muito para atingir esse padrão de excelência que hoje se converte em resultado também aos olhos do MEC”.

Outras informações sobre início de atividades deverão ser dadas em breve pela direção da faculdade, que vai ofertar inicialmente de forma presencial os cursos de Direito, Administração, Contábeis, Enfermagem e Pedagogia, além de dezenas de cursos à distância. Cursos de pós-graduação também deverão ser oferecidos.

Faculdade Vale do Pajeú, em São José do Egito

Faculdade Vale do Pajeú, em São José do Egito

Faculdade Vale do Pajeú: últimos ajustes antes da visita do MEC

Faculdade Vale do Pajeú: últimos ajustes antes da visita do MEC

Trabalho intenso na Faculdade Vale do Pajeú (FVP) em São José do Egito. Nos últimos dias a sede da instituição vem passando por ajustes, organização de salas e laboratórios e montagem de equipamentos para a vistoria que será executada por técnicos do Ministério da Educação (MEC).

A previsão é que nesta terça (3) a equipe chegue a São José para avaliar se a estrutura está apta para a liberação dos cinco cursos iniciais que farão parte da graduação (Direito, Contabilidade, Administração, Pedagogia e Enfermagem).

Os servidores do MEC devem ficar na Terra da Poesia provavelmente até a sexta-feira (6).

Este é um dos momentos mais importantes para a implantação do projeto. O diretor-presidente da FVP , Painha Advogado, vem acompanhando esse trabalho final na estrutura em todos os expedientes de serviço.

Faculdade Vale do Pajeú: últimos ajustes antes da visita do MEC

Faculdade Vale do Pajeú: últimos ajustes antes da visita do MEC

Auditório da FVP recebe a denominação “Deputado José Marcos de Lima”

Auditório da FVP recebe a denominação “Deputado José Marcos de Lima”

A Faculdade Vale do Pajeú deve receber na próxima semana vistoria de técnicos do Ministério da Educação (MEC). Com suas instalações praticamente concluídas, nos últimos dias vem sendo desenvolvido um grande trabalho para que pequenos detalhes na estrutura sejam finalizados. Durante esta semana, por exemplo, foram montados laboratórios e organizados recepção e diversas salas.

Numa ação inédita, onde normalmente prédios e/ou espaços recebem nomes de pessoas que já faleceram, a Vale do Pajeú está denominando diversas áreas homenageando cidadãos que continuam prestando relevantes serviços à comunidade.

Um dos maiores espaços é o auditório, que foi denominado de Deputado José Marcos de Lima.

De acordo com o diretor-presidente da FVP, Painha Advogado, “a iniciativa visa celebrar a atuação de pessoas que estão vivas; dar a verdadeira importância que sua trajetória representa junto à comunidade”. E completou: “No caso do auditório, fiz questão de homenagear o amigo Zé Marcos porque foi ele quem me ajudou quando saí daqui de São José para estudar em Recife; foi quem gerou condições para que eu e vários outros pudessem se formar”.

A Faculdade Vale do Pajeú deve iniciar suas atividades com cinco cursos presenciais. Ela ainda deve atuar com Educação à Distância (EAD) e pós-graduação.

Auditório Deputado José Marcos de Lima, na Faculdade Vale do Pajeú

Auditório Deputado José Marcos de Lima, na Faculdade Vale do Pajeú

Auditório Deputado José Marcos de Lima, na Faculdade Vale do Pajeú

Auditório Deputado José Marcos de Lima, na Faculdade Vale do Pajeú

Câmara SJE homenageou escolas Sebastião Rabelo e Célia Siqueira. Fotos: Ascom Câmara SJE

Câmara SJE homenageou escolas Sebastião Rabelo e Célia Siqueira. Fotos: Ascom Câmara SJE

Na noite desta sexta (24) a Câmara de Vereadores de São José do Egito realizou sessão solene para homenagear a Escola Técnica Estadual Professora Célia Siqueira, pelas conquistas junto às olimpíadas nacionais e internacionais de conhecimentos, e a Escola Estadual Professor Sebastião Ferreira Rabelo Sobrinho, pelo excelentes resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica de Pernambuco (Idepe).

A reunião contou com a presença de educadores e alunos dos dois educandários homenageados.
Os gestores das escolas destacadas fizeram uso da tribuna e relataram as trajetórias de suas instituições.
A Escola Sebastião Rabelo aproveitou a oportunidade para fazer referência a alunos portadores de deficiências. Uma apresentação com estudantes surdos também aconteceu.

A solene foi requerida pelos vereadores Tadeu do Hospital – para homenagear a Sebastião Rabelo, e Albérico Tiago – para agraciar a Célia Siqueira.

Gestora da Sebastião Rabelo, Fabiana do Prado, recebe certificado da Câmara SJE

Gestora da Sebastião Rabelo, Fabiana do Prado, recebe certificado da Câmara SJE

Gestor da Célia Siqueira, Niedson Amaral, recebe certificado da Câmara SJE

Gestor da Célia Siqueira, Niedson Amaral, recebe certificado da Câmara SJE

câmara_sje_solene_escolas_02

2ª Sessão Ordinária do Parlamento Jovem, na Câmara SJE. Fotos: Ascom Câmara SJE

2ª Sessão Ordinária do Parlamento Jovem, na Câmara SJE. Fotos: Ascom Câmara SJE

O Parlamento Jovem, projeto da Câmara de Vereadores de São José do Egito, promoveu nesta terça (21) a 2ª sessão ordinária dos vereadores mirins. Pela manhã, os jovens estudantes de educandários das redes municipal e estadual de ensino, estiveram reunidos no plenário da Casa do Povo para discutirem propostas e desenvolverem seus pronunciamentos.

Este foi o terceiro encontro do grupo. Já participaram da sessão de diplomação, posse e escolha da Mesa Diretora Mirim e de uma sessão ordinária.

Os parlamentares mirins foram escolhidos através de votação em suas escolas. O projeto voltou a ser desenvolvido neste segundo semestre de 2017 por determinação do presidente Antônio Andrade (PSB), com a coordenação da 1ª Secretaria, através do vereador Albérico Tiago (PR), e o acompanhamento técnico da Assessoria de Comunicada da Câmara, com o jornalista Geraldo Palmeira.

Na sessão desta terça (21) foram apresentadas, votadas e aprovadas 11 indicações. As matérias reivindicam, em sua maioria, benfeitorias nas escolas, e outras sugerem o desenvolvimento de atividades nos educandários. Todas foram redigidas seguindo o padrão oficial e serão encaminhadas à Prefeitura e Secretaria Municipal de Educação.

O formato da sessão seguiu os moldes determinados pelo Regimento Interno da Câmara SJE. Na ocasião, após a Ordem do Dia, aconteceram os pronunciamentos dos jovens na Tribuna.

Acompanharam a sessão os vereadores Albérico Tiago, Aldo da Clipsi (PT) e Rona Leite (PT).

A próxima sessão do Parlamento Jovem vai acontecer em 5 de dezembro, às 9h. Nesta reunião serão votadas mais uma vez indicações dos vereadores mirins. A ocasião também marcará o encerramento das atividades com esse grupo de estudantes.

câmara_sje_parlamento_jovem_21-11-2017 (1)

câmara_sje_parlamento_jovem_21-11-2017 (2)

câmara_sje_parlamento_jovem_21-11-2017 (3)

Reunião para discutir atrasos nos pagamentos de folhas da Educação aconteceu na manhã desta terça (14) no gabinete do prefeito

Reunião para discutir atrasos nos pagamentos de folhas da Educação aconteceu na manhã desta terça (14) no gabinete do prefeito

O gabinete do prefeito Evandro Valadares foi o local escolhido para reunião nesta terça (14) entre Executivo, professores e vereadores. Em pauta os atrasos que vêm acontecendo quanto ao pagamento dos salários dos servidores da educação. O debate foi conduzido pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de São José do Egito (Sintesje), através sua presidente Lúcia Maria, e pelo gestor municipal.

Inicialmente o secretário de Finanças Augusto Valadares apresentou um levantamento de quanto os cofres públicos injetam na folha da educação e enfatizou as quedas de repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) no último mês de outubro em comparação com o mesmo período no ano passado.

Tanto o secretário quanto o prefeito admitiram que há um atraso em pagamentos, entretanto confirmaram que apenas os contratados, comissionados, terceirizados e efetivos do setor administrativo não receberam. O pagamento dos demais servidores da educação já foi efetuado. De acordo com a prefeitura apenas no mês de outubro é que ainda não se concluiu o pagamento dessa folha.

Na reunião, além da categoria, compareceram os vereadores Claudevan Filho, Rogaciano Jorge, Prato de Papa, Beto de Marreco e Ana Maria – da situação – e os parlamentares David Teixeira, Aldo da Clipsi, Albérico Tiago e Tadeu do Hospital – da oposição, além do vice-prefeito Eclériston Ramos, do chefe de Gabinete Roberto Sampaio, da Secretária de Educação Roseane Borja, e os representantes do Rotary Club e CDL, Tarcísio Leite e Adalberto Teixeira, respectivamente.

Os vereadores presentes aproveitaram para cobrar a entrega de informações que foram requeridas e aprovados em plenário e que até agora não obtiveram resposta do Executivo.

A reunião, marcada para que a realidade orçamentária do município pudesse ser compreendida, teve momentos tensos nos debates, principalmente entre a secretária Roseane Borja e o vereador Tadeu do Hospital. O clima esquentou e a gestora da Educação retirou-se do recinto.

Questionado sobre inchaço na folha, o secretário Augusto Valadares disse que já foram tomadas medidas de redução do quadro. Sobre quando a prefeitura vai terminar de pagar o mês de outubro, ele projetou a possibilidade para o dia 22 próximo, entretanto, sem garantias.

Antes de sair da reunião, a secretária Roseane alegou que desde maio os repasses do Fundeb são deficitários mas os pagamentos vinham sendo efetuados. Segundo Borja, os atrasos começaram do pagamento da folha de julho (em agosto) até o atual.

O sindicato ainda cobrou um posicionamento sobre o pagamento do 13 salário. Evandro disse que está “otimista com informação de que chegarão recursos, porém, são só previsões”.

Quase no final da reunião servidores efetivos se mostraram preocupados caso os atrasos continuem todos os meses. A funcionária Maria Aparecida Silva, do setor administrativo, disse que não há como se planejar e que a vida está mais complicada porque do pouco dinheiro que recebe está pagando juros por não estar honrando seus compromissos em dia.

Já a professora Adriana Vieira da Silva alegou que os educadores estão revoltados com a divisão das folhas (a prefeitura vem pagando setores da educação em datas diferentes). Ela questionou: “Uns são melhores que outros?”

A prefeitura respondeu dizendo que vem pagando de acordo com os repasses que vão chegando aos cofres, inclusive completando algumas folhas com recursos próprios.

A reunião foi encerrada sem que os professores tivessem a garantia que os pagamentos de seus vencimentos voltarão à normalidade dos prazos (até o quinto dia útil do mês) nos próximos meses.

A pauta foi praticamente voltada para a prefeitura mostrar a situação orçamentária da Educação.

IMG_1380 IMG_1383 IMG_1387 IMG_1391

Na manhã deste domingo (12), a Polícia Federal cumpriu 31 mandados, entre condução coercitiva e busca e apreensão em 13 estados. Foto: ABr

Na manhã deste domingo (12), a Polícia Federal cumpriu 31 mandados, entre condução coercitiva e busca e apreensão em 13 estados. Foto: ABr

Em Pernambuco, foi cumprido apenas um mandado de condução coercitiva. Um candidato foi detido em São José do Egito, no Sertão pernambucano, a 404 quilômetros do Recife, logo após fazer a prova. Ele prestou depoimento na delegacia de Patos, na Paraíba, a 63 km de São José, e em seguida liberado.

Renato Madsen, delegado da Polícia Federal que conduz as investigações em Pernambuco disse que a PF começou a levantar esses históricos de alguns elementos que levantavam suspeitas. “Por exemplo pessoas que já tinham sido aprovadas em outras provas do Enem para cursos de alta dificuldade e que estavam de novo fazendo a prova”, afirmou o delegado. Juntando essas informações com outros dados, a polícia conseguiu identificar esses 31 suspeitos.

O delegado Renato Madsen disse ainda que não houve qualquer prejuízo às provas aplicadas no Estado. As investigações irão prosseguir e deve haver novos desdobramentos nos próximos dias.

 

Com informações do JC Online

Profissionais da educação protestam em São José do Egito contra atraso em salários

Profissionais da educação protestam em São José do Egito contra atraso em salários

Na manhã desta sexta (10) professores da rede municipal de ensino e outros servidores da educação em São José do Egito promoveram caminhada em protesto contra frequentes atrasos em pagamos de salários. O evento foi decidido pelos educadores em assembleia.

Empunhando faixas com as frases “Nosso salário de outubro está atrasado sim”, “#SOS Educação Pública” e “Dia de luta pelos nossos salários!!! Pelos nossos direitos”, entre outras, os professores se concentraram defronte à Escola Municipal Luís Paulino de Siqueira, no bairro Borja, de onde caminharam passando pelo pátio da feira e foram até a prefeitura. Nos três locais foram desenvolvidos pronunciamentos. Houve também uma parada em frente ao Ministério Público.

Representantes do Sindicato do Trabalhadores em Educação de São José do Egito (Sintesje), do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Tuparetama, além de agentes políticos acompanharam o ato.

Informações obtidas pelo blog indicam que a prefeitura pagou professores efetivos dos anos iniciais e finais e servidores do setor administrativo. Alguns educadores relataram que o Poder Executivo não pagou ainda contratados, aposentados, bolsistas e nem assistentes de serviços gerais. A categoria denuncia que no caso de bolsistas e contratados o atraso está chegando a dois meses.

De acordo com participantes do protesto, ninguém da prefeitura se pronunciou sobre o ato.

Servidores protestam defronte à Prefeitura

Servidores protestam defronte à Prefeitura