Moção de Repúdio à vereadora Eleonora Broilo, de Farroupilha (RS). Foto: Ascom Câmara SJE

Moção de Repúdio à vereadora Eleonora Broilo, de Farroupilha (RS). Foto: Ascom Câmara SJE

Os vereadores de São José do Egito subscreveram moção de repúdio à parlamentar Eleonora Broilo (PMDB) do município de Farroupilha (RS) que desenvolveu discurso xenófobo contra o povo nordestino. Na sessão ordinária do Poder Legislativo daquela localidade gaúcha, na segunda-feira da semana passada, ela disse em seu pronunciamento que “os nordestinos sabem muito bem se unir, sim, para roubar”.

Eleonora Broilo, que é pediatra, falou: “Eles sabem ganhar propina. Eu acho que eles sabem se unir para aumentar a corrupção. Isso eu acho que eles são donos. Isso eu concordo plenamente. Talvez até eles não saibam nem falar muito bem, mas sabem roubar que é uma maravilha”.

Por iniciativa de todos os parlamentares egipcienses foi encaminhada àquela casa legislativa a Moção nº 001/2017 que em seu texto pede a atenção dos parlamentares farroupilhenses no tocante a acionarem a Comissão de Ética da Câmara Municipal para que abra um processo contra a vereadora visando à cassação do seu mandato.

Os vereadores de São José ainda solicitam que os legisladores do PMBD de Farroupilha enviem ofício ao presidente do partido no Rio Grande do Sul pedindo a expulsão da parlamentar dos seus quadros por motivo de xenofobia.

Assinaram a moção os vereadores Alberto Oliveira da Silva, Ana Maria Alves de Brito Dantas, Antônio Andrade Ferreira, Claudevan Batista de Melo Filho, David Teixeira de Deus, Euclides Ronaldo Leite (Rona), José Albérico Nunes de Brito, José Aldo de Lima, José Roberto da Silva Bernardes, José Vicente Souza (Doido), Rogaciano Jorge de Souza, Rildo Fernando de Siqueira Costa (Prato de Papa) e Tadeu Gomes de Oliveira.

Delegado Ubiratan Rocha foi entrevistado por Nill Júnior, na Rádio Pajeú. Foto: Blog Nill Júnior

Delegado Ubiratan Rocha foi entrevistado por Nill Júnior, na Rádio Pajeú. Foto: Blog Nill Júnior

O Delegado Ubiratan Rocha disse em entrevista ao Debate das Dez da Rádio Pajeú que discorda radical e frontalmente da Portaria 2497, assinada em 24/05/2017 pelo Secretário de Defesa Social Antonio Gioia, que om transferiu da Delegacia de São José do Egito para Sertânia, no Moxotó. O Delegado procurou o programa para externar sua insatisfação.

Segundo Rocha, a decisão teria sido fruto da “condução arbitrária e autoritária” do Delegado Regional Jorge Damasceno. A portaria define como motivação para a saída de Ubiratan a necessidade de “promover o relacionamento e parceria entre as corporações de segurança pública”. Diz ainda que “o comportamento da referida autoridade policial estás comprometendo a disciplina e causando transtorno à gestão, o que deste modo inviabiliza a permanência nesta região”.

Diz o Delegado que a portaria o atinge moralmente e que lutará até o fim para defender seu nome e atuação na Polícia Civil. Ele confirmou que ingressará com Mandado de segurança parta reverter a decisão, bem como ingressará com pedido de indenização por danos morais. Na versão por ele apresentada, a questão teria relação com uma determinação para que qualquer conduzido à Delegacia de São José do Egito fizesse antes exame traumatológico. “É um procedimento de praxe por exemplo para que se ingresse à cadeia”, justificou.

A decisão teria gerado insatisfação do Regional, que teria passado a pressioná-lo para reverter a determinação. “A partir daí ele chegou a dizer que eu o proibi de usar as dependências da Delegacia o que não é verdade”. Dia 19 de abril – afirma o Delegado – uma reunião com o Diretor da Dinter II José Rivelino e o Regional Damasceno tentou demovê-lo da decisão. “Não voltei atrás. Desde 19 de abril soube eu seria transferido”. Afirmou ter apoio dos colegas. “Vários não querem assumir a Delegacia pela distância ou porque me apoiam. Há 40 dias ninguém quer assumir. Nos apoiam mas não falam com medo do militarismo”.

O Delegado defendeu sua atuação a frente da Delegacia. “São José não tem homicídios há um ano e dois meses. Dos 15 homicídios este ano, nenhum foi na cidade. Passei a integrar uma força tarefa de combate a assaltos a bancos no Estado. O Coordenador pediu nossa permanência mesmo depois da transferência”. Ele também falou de Operações que coordenou como “Ades”, “Mercúrio” e “Pombo Correio”. E disse que nas passagens por Tabira e Afogados, assim como quando assumiu internamente a regional, teve apoio dos colegas, agentes e escrivães.

Ubiratan afirmou que outros dois colegas, os Delegados Edson Augusto e Paulo Andrade também teria sido transferidos por perseguição.

Ele questionou a falta de informações como a Comunicação Interna (CI) que teria motivado seu afastamento. “Até agora não recebi nem CI de transferência. A portaria o Dr Jorge guardou no gabinete. Agiu de forma arbitrária, autoritária como conduz a seccional”.

A Associação de Delegados de Polícia  do Estado de Pernambuco (ADEPPE) foi comunicada segundo o Delegado. “Já temos documentos para ingressar com Mandado de Segurança. Falta ter ciência da CI, essencial para meu direito de defesa”.

O Delegado afirmou não ter problemas com Sertânia, para onde foi transferido. “A questão é a forma. Desde fevereiro eu costurava ida para Petrolina, porque minha esposa iria para Policia Científica. Assumiria o DEPATRI. Em meio a essa questão fui consultado sobre antecipar minha ida. Mas agora não quero ir”, afirmou.

 

Nill Júnior

Prato de Papa (PSB) obteve 467 votos nas eleições de 02 de outubro passado. Foto: Saojosedoegito.Net

Prato de Papa (PSB) obteve 467 votos nas eleições de 02 de outubro passado. Foto: Saojosedoegito.Net

A prefeitura de São José do Egito encaminhou à Câmara de Vereadores ofício convidando o parlamentar José Ferreira Neto – Jota (PSB) a assumir o cargo de ouvidor geral do município. Desta forma Jota deve se licenciar do cargo eletivo na próxima sessão ordinária, sábado (27), quando o pedido deve ser homologado em plenário.

O suplente Rildo Fernando – Prato de Papa (PSB) assume a vaga e vai a partir desse momento iniciar seu trabalho legislativo mais uma vez na Câmara, tendo em vista que em outras oportunidades, durante a legislatura 2009-2012, teve durante alguns meses, também como suplente, o direito de ocupar assento na Casa do Povo em substituição a outros que se afastaram temporariamente.

Com a nomeação de Jota ao cargo de ouvidor, esse é o segundo vereador que deixa a Câmara e aceita convite do prefeito Evandro Valadares para atuar no Executivo. O primeiro foi Flávio Jucá (PSB) que ocupa hoje o cargo de coordenador geral de Saúde e abriu espaço para que o suplente professor Claudevan Filho (Rede) marcasse presença no parlamento egipciense.

Dentro das especulações políticas já se dá por certo o convite para que outro vereador da base da situação – possivelmente Rogaciano Jorge (PSB) – assuma cargo na prefeitura. Caso isso realmente aconteça o ex-presidente da Câmara SJE e atual suplente Maurício do São João é quem deve retornar ao Poder Legislativo.

Ex-deputado José Marcos foi homenageado na Alepe. Foto: Henrique Genecy/Alepe

Ex-deputado José Marcos foi homenageado na Alepe. Foto: Henrique Genecy/Alepe

Os 50 anos de vida pública do ex-presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) José Marcos de Lima foram comemorados no Plenário do Museu Palácio Joaquim Nabuco. Por solicitação do deputado Rogério Leão (PR), a Reunião Solene ocorreu na noite desta segunda (22).

Natural de São José do Egito, Sertão do Pajeú, o ex-parlamentar entrou na vida pública em 1974, quando foi eleito vereador do município e, posteriormente, prefeito da cidade. Além da atuação política, tornou-se empresário das áreas de saúde, radiodifusão e construção civil.

Ingressou na Assembleia em 1990, onde cumpriu três mandatos consecutivos. Na Alepe, foi primeiro-secretário no biênio 1995/1997 e, em 1999, assumiu a presidência do Legislativo pernambucano, permanecendo até o início de 2001. Nesse período, chegou a ocupar, interinamente, a chefia do Executivo estadual, por motivo de viagem do então governador Jarbas Vasconcelos.

Nos anos que se seguiram, José Marcos também esteve à frente de outros cargos públicos. Entre eles, o de presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA) e de secretário de Infraestrutura de Jaboatão dos Guararapes. Em 2006, o ex-deputado foi coordenador-geral da campanha de Eduardo Campos ao Governo do Estado.

Ao coordenar a Reunião Solene, o presidente da Assembleia, deputado Guilherme Uchoa (PDT), ressaltou que José Marcos conseguiu a desapropriação de um imóvel localizado ao lado da Alepe, o que possibilitou a construção do Edifício Governador Miguel Arraes, onde funcionará o novo Plenário da Casa Joaquim Nabuco. O prédio deverá ser inaugurado ainda neste semestre. “Será a melhor e mais estruturada sede de um Poder Legislativo no País”, afirmou Uchoa, destacando, ainda, o espírito empreendedor e a habilidade política do ex-deputado. “Ele sempre revelou capacidade e dedicação”, prosseguiu.

Rogério Leão salientou a contribuição de José Marcos para o Estado, seja como político, empreendedor ou como agropecuarista. “Sua administração em São José do Egito é lembrada até hoje. Na Alepe, fez trabalho digno e honroso, informatizando a Casa quando foi primeiro-secretário”, enalteceu, enfatizando que, como presidente, ele trabalhou para aproximar o Legislativo de todos os setores da sociedade. Leão entregou ao homenageado uma placa comemorativa da Assembleia.

Presente à cerimônia, o ex-deputado federal Inocêncio Oliveira também se pronunciou. “Falar de José Marcos é a coisa mais simples do mundo. Feliz do município que contou com o seu apoio, pois ele sempre foi um homem à frente do seu tempo.”

Em seu discurso, José Marcos afirmou estar emocionado ao ocupar novamente a tribuna da Alepe. Ele fez elogios a Guilherme Uchoa, que foi primeiro-secretário durante sua gestão como presidente da Casa. “Nós, deputados, fazemos as leis, mas, como um Poder aberto, muitas vezes somos incompreendidos pela sociedade.” E acrescentou: “Para mim, é motivo de muito orgulho e satisfação voltar à Assembleia. Isso só me remete a um pensamento: agradecimento.”

Sessão Solene da Alepe em homenagem aos 50 anos de vida pública do ex-deputado José Marcos de Lima. Fotos: Henrique Genecy/Alepe

Sessão Solene da Alepe em homenagem aos 50 anos de vida pública do ex-deputado José Marcos de Lima. Fotos: Henrique Genecy/Alepe

Diversos amigos de José Marcos compareceram à solene. É o caso dos vereadores egipcienses Alberto Silva, David Teixeira, Rona Leite e Albérico Tiago, este último foi convidado a fazer parte da composição da mesa dos trabalhos, ao lado de Uchôa, José Marcos, Inocêncio,e do desembargador Fausto Freitas.

Também estiveram presentes os deputados Isaltino Nascimento, Priscila Krause, Júlio Cavalcanti e Augusto César, além dos ex-parlamentares Sebastião Rufino, Sérgio Leite, André Campos e Roldão Joaquim. O ex-prefeito de São José do Egito Romério Guimarães e os ex-vereadores Joel Gomes (Tuparetama), Nenen Dudu e Zé Bilú (São José do Egito) também acompanharam a solenidade, além de outros amigos do homenageado.

SOLENE_03 SOLENE_04 SOLENE_05 SOLENE_06 SOLENE_07 SOLENE_08 SOLENE_09 SOLENE_10 SOLENE_11

 

Matéria da Alepe ampliada pelo blog

Vereador Alberto de Zé Loló. Foto: Facebook Alberto Silva

Vereador Alberto de Zé Loló. Foto: Facebook Alberto Silva

Nesta segunda-feira (15) o vereador por São José do Egito Alberto de Zé Loló completou mais um ano de vida. O parlamentar integra a bancada de oposição ao governo municipal e vem se destacando pelo teor técnico que insere em seus discursos na tribuna para questionar atos do Poder Executivo.

Amigos do vereador e sua assessoria, em contato com o blog, comentaram a sua trajetória profissional exaltando os mais de 30 anos de atividades entre Receita Federal e Controladoria Geral da União / Ministério da Transparência e Fiscalização e por julgarem primoroso seu primeiro mandato no Legislativo da Terra dos Poetas.

Ao blog o aniversariante agradeceu as felicitações que vem recebendo ao longo do dia e reafirmou seu “compromisso de lutar e zelar pelos direitos dos menos favorecidos”. Alberto disse ainda que “o empenho na função de vereador só faz aumentar principalmente quando se tem em mente promover políticas públicas que venham a beneficiar toda a população, independente de siglas partidárias”.