Antônio, Aldo, Albérico e Tadeu registraram suas candidaturas a cargos da Mesa Diretora da Câmara SJE

Antônio, Aldo, Albérico e Tadeu registraram suas candidaturas a cargos da Mesa Diretora da Câmara SJE

Na manhã desta quinta-feira (29) os vereadores eleitos Antônio Andrade, Aldo da Clipsi, Albérico Tiago e Tadeu do Hospital registraram suas candidaturas aos cargos de presidente, vice, 1º e 2º secretários, respectivamente, da Mesa Diretora da Câmara de São José do Egito.

Na sede do Poder Legislativo acompanharam o processo de inscrição os vereadores Alberto de Zé Loló, David Teixeira e Rona Leite, além do ex-presidente da Casa do Povo, cantor Delmiro Barros.

Antônio Andrade, que integra o grupo do prefeito eleito Evandro Valadares, será votado por vereadores do grupo de Zé Marcos e Romério Guimarães.

Após os registros das candidaturas aos cargos da Mesa Diretora, os parlamentares concederam entrevistas às rádios Cultura AM e Gazeta FM, onde firmaram, publicamente, o compromisso dessa composição à eleição da Câmara que acontecerá no próximo domingo (1º) após a solenidade de posse dos eleitos.

O registro de candidaturas aos cargos da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de São José do Egito pode ser efetuado até às 13h desta sexta (30).

A eleição será por ordem alfabética e o voto é aberto, como determina o Regimento Interno. Cada parlamentar dirá em quem vota para cada função do legislativo.

20161229_112220

Na entrada da Câmara SJE após registros de candidaturas aos cargos da Mesa Diretora

20161229_114900

Entrevista na Rádio Cultura AM

Após entrevista na Gazeta FM

Após entrevista na Gazeta FM

Antônio Andrade

Antônio Andrade

20161229_111354

Aldo da Clipsi

20161229_100429

Tadeu do Hospital

20161229_093706

Albérico Tiago

Escolas de Referência. Foto: Divulgação

Escolas de Referência. Foto: Divulgação

A implantação das 33 novas escolas com ensino em tempo integral em Pernambuco está sendo anunciada hoje no Palácio do Campo das Princesas, com a presença do ministro da Educação, Mendonça Filho, o governador do Estado, Paulo Câmara, e o secretário de Educação, Frederico Amâncio. Serão financiadas por meio do Programa de Fomento à Implementação da Escola em Tempo Integral, cujo investimento total previsto pelo Governo Federal é de R$ 1,5 bilhão.

As outras duas escolas que serão convertidas para horário integral são de Igarassu e Paulista e estão dentro de um novo projeto da secretaria estadual que só será divulgado hoje, às 10h. Em entrevista à Rádio Folha 96,7 FM, Mendonça Filho anunciou que seriam liberados cerca de R$ 30 milhões para Pernambuco, garantindo, ainda, que a PEC da redução de gastos não trará impactos negativos à educação pública.

O orçamento da pasta previsto para o ano que vem será de R$ 139 bilhões, R$ 10 bilhões a mais que em 2016.  Segundo a SES, um projeto piloto de escola integral foi implantado em Olinda, com horário alternativo. É ele que será reproduzido nas duas cidades da Região Metropolitana – vagas ainda não foram divulgadas. Além de Igarassu e Paulista, instituições de 23 municípios passando por Zona da Mata e Agreste, até o Sertão, terão mudanças na carga horária. Recife, Bezerros, Caruaru e Gravatá, no Agreste, Vicência, Mata Norte, e Petrolina são algumas das cidades.

Atualmente, Pernambuco é sede de 300 Escolas de Referência no Ensino Médio (Erem) e 35 Escolas Técnicas Estaduais (ETE), duas categorias que funcionam baseadas no horário integralizado. Os números fazem do Estado referência na modalidade, que representa 43% das escolas de Ensino Médio.

Além dos recursos para a instalação do projeto do ensino médio com horário estendido, Mendonça Filho pretende liberar o montante para o programa Mediotec, também lançado semana passada. O projeto é um desmembramento do Pronatec e busca ofertar formação técnica e profissional a estudantes do ensino médio. Para 2017, serão investidos R$ 700 milhões e ofertadas 82 mil vagas.

Na ocasião, o MEC dará mais detalhes sobre o parcelamento dos recursos do Fundeb – que complementam a renda de estados e municípios nos pagamentos do salários dos professores.

 

Da Folha de Pernambuco

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

ESTÁ QUENTE EM SUA CIDADE?

 

A nossa região é caracterizada por temperaturas elevadas durante quase todo o ano.

Nestes últimos meses a população tem reclamado bastante do calor intenso em praticamente toda região.

Dentro deste contexto tenho aqui a intenção de mais uma vez buscar discutir questões relacionadas ao meio ambiente, chamando atenção da sociedade e do poder público com relação aos descasos com a natureza.

A poucos dias tratamos em outro artigo publicado sobre a questão do reaproveitamento da água do Mercado e Açougue público em São José do Egito para arborização e manutenção de uma área verde na praça Antônio Jorge, que fica em frente ao mesmo.

Desta vez, gostaria também de questionar os critérios utilizados, se é que existem, para arborização das cidades, pois é bem visível a plantação de árvores que, além de não fazer parte da nossa região, não tem tratamento adequado inclusive no que diz respeito a sua poda.

Temos árvores em nossas praças que uma pessoa de estatura mediana não pode ficar em baixo em função da altura.

Em determinadas ruas não temos uma árvore, e alguns comerciantes ainda consideram inadequada a plantação em função do descarrego de mercadorias em frente ao seu estabelecimento.

Precisamos rever estes conceitos. Acredito que isto seja uma questão de planejamento.

Mas os Governos Municipais estão preocupados com o meio ambiente? E a população, está? Se estão, o que estão fazendo de concreto?

Não podemos esperar apenas pelos gestores públicos, independente da esfera e do problema, precisamos como cidadãos e cidadãs estar dispostos para apontar solução antes de ficar apenas apontando problemas, porém precisamos da abertura e disposição dos gestores públicos para ouvir e discutir a viabilidade.

Outro problema é a questão do desmatamento para loteamentos, onde podemos encontrar toda infraestrutura como meio fio e até calçamento, só não encontramos uma árvore plantada, mesmo as avenidas já estando planejadas.

Trinta por cento dos loteamentos são destinados para os municípios, porém não existe disposição dos seus gestores em construir uma área verde no loteamento, mesmo estando disposto na legislação de uso e parcelamento do solo (Lei 6766/79).

Assim também acontece com as ruas e avenidas de nossas cidades, como estamos relatando.

Estamos o tempo inteiro a reclamar do calor intenso, mas não estamos dispostos a discutir soluções para minimizar o problema.

Na década de setenta, não tínhamos calçamento na maioria das ruas e cada morador mantinha a frente de sua casa limpa e assim a rua permanecia limpa.

Hoje temos calçamento, asfalto, pagamos a taxa de limpeza pública para o município manter a cidade limpa, mas qual o cidadão ou cidadã que tem a disponibilidade de adotar uma árvore?

Adotar é diferente de plantar. Quando falo adotar seria plantar e cuidar, colocando água para mantê-la, pois desta forma poderíamos com o mesmo consumo d’agua proporcionar o verde nas nossas ruas, praças e avenidas, e minimizar a alta temperatura, pois a água pode e deve ser reutilizada.

Podemos reutilizar a água da pia para colocar nas plantas, a água do ar condicionado para lavar o carro ou cuidar do verde preservando o meio ambiente e melhorando a qualidade de vida.

Com isto podemos observar que a responsabilidade partilhada entre o governo e o povo pode gerar grandes benefícios economizando água, recursos financeiros, dentre outros, para melhoria da qualidade de vida.

O grande problema está na falta de conhecimento sobre a importância da educação ambiental para melhoria da qualidade de vida, e na vontade dos governantes de promover a política pública como instrumento de implementação de projetos de interesse coletivo com o melhor custo/benefício.

 

Tarcízio Leite

E-mail: tarcizio.leite@hotmail.com

WhatsApp: 87 9 9992-3163

 

Obs.: Os artigos de Tarcízio Leite vão sempre ao ar às quartas-feiras. Impreterivelmente nesta semana a coluna está sendo postada na quinta (29).

 

– As opiniões emitidas pelos colunistas e leitores são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião do Saojosedoegito.Net.