Em entrevista nesta sexta-feira (16) ao jornalista Geraldo Palmeira Filho na Rádio Cultura AM, o prefeito de São José do Egito Romério Guimarães (PT) fez um balanço do seu governo e falou sobre seu futuro na política egipciense.

Durante quase uma hora o petista destacou os avanços obtidos pelo município no campo da educação, relatou sobre os investimentos em saúde e classificou sua gestão como operante.

Guimarães em vários momentos teceu comparações entre os últimos dias do seu mandato com os do seu antecessor Evandro Valadares, o mesmo que irá substituí-lo em 1º de janeiro de 2017. De acordo com o prefeito, há quatro anos não houve praticamente atos de transição porque a gestão da época não sinalizou interesse no repasse de informações. Romério relatou que, na educação, por exemplo, “não havia na secretaria nem papel ofício para se iniciar o trabalho e não deixaram nem os nomes dos professores efetivos arquivados”.

Perguntado se um dos problemas de sua administração foi a saúde pública, o gestor enfatizou que essa é uma área complexa mas que investiu pesado, primeiro com a aquisição do prédio da antiga Clipsi junto ao Governo do Estado, depois na contratação de médicos e, agora, mesmo em final de mandato, equipando todo o Hospital Maria Rafael de Siqueira. Romério disse: “Já compramos quase um milhão de reais em equipamentos para o hospital e estamos licitando outro recurso oriundo de emendas parlamentares”. Segundo Guimarães “o próximo prefeito não terá desculpas a dar se não fizer uma boa gestão hospitalar, pois a unidade vai ficar super equipada com o que há de melhor”.

Na conversa ele adiantou que voltará a atender no Maria Rafael de Siqueira, já que é médico efetivo dos quadros do hospital. “Tenho direito a licença-prêmio, então vou analisar se o momento para retirá-la será em janeiro ou após, entretanto, reafirmo que não vou pedir transferência para nenhum outro lugar; vou continuar trabalhando em São José do Egito, dando os meus plantões como sempre fiz”.

O prefeito destacou as várias inaugurações que a prefeitura está promovendo neste final de mandato dando ênfase às próximas: Emei Diva de Siqueira Vasconcelos – no bairro Planalto e cobertura da quadra da Escola Municipal Helena Maria – no distrito Riacho do Meio, ambas no dia 23. Disse ainda que também vai inaugurar o novo cemitério público em dada a ser definida.

Questionado se pensa em candidatar-se novamente a algum cargo eletivo, Guimarães foi sutil e disse que o momento ainda é cedo para especulações dessa natureza, mas deixou nas entrelinhas a frase: “No meu vocabulário não existe a palavra adeus, existe a expressão até breve!”

Confira, em vídeo, a parte final da entrevista com o prefeito Romério Guimarães:

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

Ainda não sacaram o abono salarial do PIS/Pasep ano-base 2014, em Pernambuco, 17.600 pessoas. Os benefícios não sacados, somados, correspondem a 15 milhões e meio de reais.

Em Pernambuco 28.207 pessoas tinham direito ao abono. 10.512 retiraram o benefício até o dia 29 de novembro. O prazo para saque termina no próximo dia 29 na rede bancária.

Como no dia 30, data-limite para o saque, não haverá expediente bancário, as pessoas que possuem Cartão Cidadão com senha registrada podem sacar o dinheiro em caixas eletrônicos da Caixa Econômica Federal e em casas lotéricas.

Depois dessa data o dinheiro do abono volta para o Fundo de Amparo ao Trabalhador. O Ministério do Trabalho recomenda que as pessoas não deixem o saque para o último dia.

Podem receber o benefício de um salário mínimo (880 reais) as pessoas que trabalharam pelo menos dois meses com carteira assinada em 2014 com vencimento mensal médio de até dois salários mínimos e que tiveram seus dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Pesquisa: Aumenta reprovação do Governo Temer. Foto: Reuters/Adriano Machado

Pesquisa: Aumenta reprovação do Governo Temer. Foto: Reuters/Adriano Machado

Pesquisa Ibope encomendada pela CNI (Confederação Nacional da Indústria) mostra que o percentual de brasileiros que consideram o governo do presidente Michel Temer (PMDB) ruim ou péssimo é de 46%. Na última pesquisa, divulgada em outubro, 39% dos brasileiros avaliaram o governo do presidente como ruim ou péssimo, percentual igual ao apontado na pesquisa de julho.

Ainda de acordo com o levantamento, 13% dos brasileiros consideram o governo Temer como ótimo ou bom, ante 14% em outubro. Em julho, esse percentual foi de 13%.

O percentual de brasileiros que considera o governo regular é de 35%, contra 34% em outubro, e o percentual dos que não sabem ou não responderam ficou em 6% (era 12% em outubro).

Esta foi a segunda pesquisa Ibope sobre a aprovação do governo realizada após Temer ser efetivado no cargo, com a conclusão do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Na primeira pesquisa, em julho, Temer ocupava o cargo de forma interina –o impeachment só foi concluído em 31 de agosto.

A pesquisa foi realizada entre 1º e 4 de dezembro e ouviu com 2.002 pessoas em 143 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

A pesquisa foi realizada antes de vir a público a delação do ex-executivo da Odebrecht Cláudio Melo Filho, que citou ter acertado o repasse de R$ 10 milhões ao PMDB durante uma reunião com Temer e o então presidente da empreiteira, Marcelo Odebrecht, no Palácio do Jaburu, residência oficial do vice-presidente.

Confiança

De acordo com a pesquisa, 72% dizem não confiar no presidente Michel Temer (ante 68% em outubro); outros 23% dizem confiar (ante 26%) e 5% não sabem ou não responderam (ante 6%).

 

Do Uol

Operação Rodovida 2016-2017 ocorrerá em duas etapas. Imagem ilustrativa/Reprodução

Operação Rodovida 2016-2017 ocorrerá em duas etapas. Imagem ilustrativa/Reprodução

Nesta sexta-feira (16) o Governo Federal inicia a Operação Rodovida 2016-2017, que ocorrerá em duas etapas, que coincidem com a época de maior movimento nas estradas. A primeira fase irá até 31 de janeiro (festas de final de ano e férias escolares); e a segunda, de 17 de fevereiro a 5 de março de 2017 (Carnaval).

Durante a operação serão intensificadas as campanhas educativas e a fiscalização sobre alcoolemia, excesso de velocidade, motocicletas, ultrapassagens irregulares e transporte de crianças. A Operação também contempla melhorias na sinalização, parcerias com empresas concessionárias de rodovias federais e outras atividades.

A campanha prevê o esforço integrado de vários órgãos federais, em articulação com estados e municípios.