Professores municipais reivindicam votação do "Estatuto do Magistério".

Professores municipais reivindicam votação do “Estatuto do Magistério”.

Na sessão da Câmara SJE nesta segunda-feira (28) mais uma vez os professores da rede municipal de ensino compareceram. Após acompanhar o desenrolar da reunião, que colocou em pauta alguns projetos e indicações, e categoria iniciou protesto após o presidente da Casa, José Vicente – Doido (PSC), encerrar os trabalhos.

Os mestres estão cobrando que o chefe do Legislativo coloque em votação o Projeto de Lei Ordinária nº 006/2016 que institui o “Estatuto do Magistério” em São José do Egito. A matéria é de autoria do Poder Executivo e está tramitando na Câmara há algumas semanas.

De acordo com professores, a maioria dos parlamentares é favorável à aprovação, mas, para isso, é necessário que o projeto seja “desengavetado”.

O ano legislativo está terminando e apenas duas sessões ordinárias irão acontecer (5 e 12 de dezembro). A partir do dia 15 do próximo mês a Câmara entra em recesso e permanece assim até 20 de janeiro de 2017.

Como a última sessão (12 de dezembro) deve ter em pauta apenas pronunciamentos de despedidas, o que já foi acordado entre os vereadores, haverá apenas a reunião da próxima segunda (05 de dezembro) para que o projeto seja votado. Outra hipótese é, passado o período das sessões ordinárias, acontecer a convocação de reunião extraordinária ainda em 2016; o que é pouco provável.

Caso o projeto não seja votado este ano, para que ele volte à pauta será necessário que o próximo prefeito o encaminhe novamente à Casa do Povo.

Entre as críticas entoadas pelos professores, destaca-se a frase: “Nós somos invisíveis para o Poder Legislativo de São José do Egito”.

Clene Valadares fala sobre os 100 anos da usina de algodão

Clene Valadares fala sobre os 100 anos da usina de algodão

 

Usina de Algodão

Outro destaque da sessão desta segunda foi a participação da poetisa Clene Valadares. Ela fez uso do projeto Tribuna Popular e durante alguns minutos se pronunciou sobre o início da preparação para evento comemorativo aos 100 anos de fundação da antiga usina de algodão (usina de seu Inácio).

Secretaria de Educação sugeriu à Secretaria de Administração que o período passe de seis para oito anos. Foto: Roberto Soares/Alepe

Secretaria de Educação sugeriu à Secretaria de Administração que o período passe de seis para oito anos. Foto: Roberto Soares/Alepe

A possibilidade de prorrogação por mais dois anos dos contratos de professores temporários da rede pública estadual gerou críticas da deputada Teresa Leitão (PT), na Reunião Plenária desta segunda (28) na Alepe. Segundo a parlamentar, a Secretaria  de Educação sugeriu à Secretaria de Administração que o período passe de seis para oito anos, por meio de projeto de lei a ser encaminhado à Assembleia Legislativa.

“Tive acesso a um ofício do secretário de Educação pedindo que a legislação fosse alterada para permitir essa prorrogação. Se isso for proposto, será um desserviço para a educação pernambucana”, declarou a deputada. “Pela lei, o contrato temporário só poderia acontecer em situações de exceção. Como uma exceção pode durar oito anos? Se essa medida for proposta, nós iremos considerá-la inconstitucional”, analisou.

Para Teresa Leitão, há dois agravantes para a situação. O primeiro é que o número de professores temporários chegou a 16.526, em comparação a 23.033 professores efetivos, conforme dados encaminhados pela própria Secretaria de Educação para a Alepe. O segundo é que foi realizado concurso para professores efetivos da educação básica, profissional e especial, em abril deste ano, o qual ainda não foi homologado.

“O Governo diz que falta uma etapa do certame para alguns professores da educação especial, mas como o concurso foi feito em três editais separados, não há impedimento para homologação dos resultados já definidos”, considerou a parlamentar. Segundo Teresa, os temporários estão ocupando o lugar dos concursados, com salários inferiores e sem receber a mais quando investem numa formação melhor. “Eles também estão mais sujeitos a intimidações contra mobilizações sindicais”, avaliou a deputada.

Em aparte, o deputado Edilson Silva (PSOL) também criticou o excesso de funcionários públicos temporários no Governo Estadual e propôs uma reunião com a Secretaria de Educação para discutir o tema. “Os servidores temporários só deveriam existir excepcionalmente, como no caso da Operação Reconstrução em Palmares”, considerou o psolista. O parlamentar destacou que o Tribunal de Justiça de Pernambuco já considerou inconstitucional a seleção de temporários para vagas permanentes, como a gestão tentou fazer recentemente no Distrito de Fernando de Noronha.

 

Da Alepe

Erbimael Andrade e Carlos Júnior estarão na Imprensa da Prefeitura de São José do Egito no 3º governo de Evandro Valadares. Foto: Reprodução/Facebook Erbi Andrade

Erbimael Andrade e Carlos Júnior estarão na Imprensa da Prefeitura de São José do Egito no 3º governo de Evandro Valadares. Foto: Reprodução/Facebook Erbi Andrade

Uma fonte do Saojosedoegito.Net revelou que para a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de São José do Egito devem ser anunciados pelo prefeito eleito Evandro Valadares os jornalistas Carlos Júnior e Erbimael Andrade. Júnior deve ser o titular e Andrade deve ocupar outra função dentro do setor.

Os dois produziram o guia eleitoral de Valadares na campanha deste ano e Carlos Júnior ainda apresentou os eventos.

Eles são formados em jornalismo pela FIP (Patos-PB). O futuro titular deve dividir seu tempo entre Poder Executivo e Rádio Gazeta, onde apresenta um jornal.

Encontro de policiais de PE, PB e RN aconteceu em Patos (PB). Foto: Divulgação

Encontro de policiais de PE, PB e RN aconteceu em Patos (PB). Foto: Divulgação

Nesse fim de semana integrantes das Forças de Segurança dos Estados de Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte estiveram reunidos em Patos (PB) para discutir estratégias de combate integrado e qualificado contra quadrilhas responsáveis por ataques a bancos.

O encontro aconteceu durante o I Simpósio Nordeste de Guerreiros de Caatinga, com integrantes de tropas especializadas no combate a esses grupos na área de vegetação de Caatinga – local geralmente escolhido como rota de fuga dos bandos que praticam esse tipo de crime.

O próximo evento deve ocorrer no Estado do Rio Grande do Norte, onde serão avaliadas as ações integradas que estão sendo planejadas para os próximos meses contra essas quadrilhas.

O evento foi organizado pelo comandante do 3º Batalhão da Paraíba, tenente coronel Francisco Rubens Campos.

conversa-de-segunda-felipe-juniorSOBRE A SUSTENTABILIDADE E O MEIO AMBIENTE

 

O debate acerca do Meio Ambiente, da sustentabilidade e da cultura do consumo se faz cada vez mais necessário. As pessoas cada vez mais se preocupam com a satisfação de suas necessidades sem se ater ao conjunto maior. Há uma necessidade extrema de nos debruçarmos sobre os meios necessários para estabelecermos uma política de qualidade sustentável que vise a melhoria do planeta. Recife, através de sua Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Sustentabilidade, foi a primeira cidade do mundo a ter um inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa. O objetivo é montar um Plano de Baixo Carbono para reduzir as emissões dos gases que afetam diretamente a atmosfera. Modelo este que deveria servir para as demais cidades do Estado e, pouco a pouco, ir criando uma cultura de sustentabilidade nas escolas e na sociedade.

Nos dias 25, 26 e 27 de novembro, ocorreu o Festival Uplanet na capital pernambucana. O festival foi montado com o objetivo de se criar (como se criou) um intenso diálogo sobre a sustentabilidade, redução de CO2 e as diversas possibilidades inovadoras de uma economia criativa que respeite o Meio Ambiente. Foram realizados vários painéis, workshops, oficinas, rodas de diálogo e de negócio, além de apresentações e intervenções culturais.

O debate deve servir de exemplo para escutarmos a sociedade e debatermos medidas que tragam soluções. É de pequeno que criamos uma cultura sustentável.

Que as cidades possam se adequar à causa e tratar a temática com respeito e prioridade!

 

– As opiniões emitidas pelos colunistas e leitores são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião do Saojosedoegito.Net.

A quadrilha teria arrombado mais de 10 bancos em Pernambuco. Foto: Divulgação

A quadrilha teria arrombado mais de 10 bancos em Pernambuco. Foto: Divulgação

A Polícia Civil de Pernambuco desarticulou uma quadrilha especializada em arrombamentos de caixas eletrônicos com uso de maçarico. As prisões ocorreram durante a Operação Chapa Quente, deflagrada há cerca de cinco meses e que qualificou oito criminosos.

Segundo a PC, a quadrilha teria arrombado mais de 10 bancos em Pernambuco. Os detalhes das prisões foram divulgados na manhã desta segunda-feira (28).

De acordo com a Delegacia de Repressão aos Roubos e Furtos, esta é a 13ª quadrilha desarticulada pelo tipo de crime somente este ano. Em 2016, foram 88 prisões, gerando o encaminhamento à Justiça de 95 inquéritos com autoria.

Segundo o delegado Paulo Berenguer, com a prisão, houve uma redução sensível nos arrombamentos com uso de maçarico.

As trabalhadoras ganham hoje cerca de 25 por cento a menos do que os homens. Arte: Reprodução

As trabalhadoras ganham hoje cerca de 25% a menos do que os homens. Arte: Reprodução

Diminuiu nos últimos anos a diferença salarial entre homens e mulheres, mas elas ainda têm um rendimento menor. As trabalhadoras ganham hoje cerca de 25% a menos do que os colegas do sexo oposto.

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio, do IBGE, publicada no jornal Valor Econômico.

O levantamento mostra que, em 2004, o salário das mulheres correspondia a 62,09% do ganho dos homens.

Naquele ano, elas tinham uma renda média mensal de R$ 902,00, enquanto os funcionários do sexo oposto recebiam R$ 1.449,00.

Na última pesquisa, realizada em 2015, a remuneração das mulheres ficou um pouco mais perto da dos homens. Passou para R$ 1.432,00 e enquanto a deles foi para R$ 1.965,00.

Praticamente todos os Estados acionaram o STF (Supremo Tribunal Federal) exigindo que a União compartilhasse com eles parte das multas geradas pela repatriação dos recursos. Foto: Alan Marques

Praticamente todos os Estados acionaram o STF (Supremo Tribunal Federal) exigindo que a União compartilhasse com eles parte das multas geradas pela repatriação dos recursos. Foto: Alan Marques

Os governadores do Nordeste se rebelaram contra o pacote de medidas de austeridade que o Ministério da Fazenda apresentou na semana passada como contrapartida para que os Estados fiquem com R$ 5 bilhões referentes à parcela de multas pagas no programa de repatriação de recursos mantidos no exterior.

Os representantes da região afirmam que as medidas apresentadas pelo ministro da Fazenda Henrique Meirelles na terça-feira (22) não tinham sido apresentadas a eles.

Os governadores reclamam porque dizem ter feito o “dever de casa” com medidas de cortes de despesas.

A lista de exigências do governo central inclui uma série de medidas impopulares para serem encabeçadas por governadores, a menos de dois anos das eleições.

Praticamente todos os Estados acionaram o STF (Supremo Tribunal Federal) exigindo que a União compartilhasse com eles parte das multas geradas pela repatriação dos recursos.

A ministra do STF Rosa Weber bloqueou liminarmente o dinheiro arrecadado, mas a decisão final ainda será tomada pelo plenário.

O governo federal havia exigido que os Estados retirassem as ações para liberar os recursos. Mas agora, depois das contrapartidas apresentadas pela Fazenda, os governadores dizem que não recuarão e vão pessoalmente ao STF na terça (29).

Em outra frente, Paulo Câmara conversou por telefone com o presidente Michel Temer no fim de semana.

“Expliquei que estava muito difícil encontrar um consenso de uniformidade entre os nove Estados do Nordeste. Entre os 27 é mais difícil ainda. O presidente disse que ia colocar essa questão a Meirelles para achar uma saída.”