Câmara aprova orçamento para 2017. Foto: Ascom Câmara SJE

Câmara aprova orçamento para 2017. Foto: Ascom Câmara SJE

Na noite desta segunda-feira (14) aconteceu a 15ª sessão ordinária da Câmara de Vereadores de São José do Egito neste segundo semestre de 2016. Numa reunião rápida, onde alguns parlamentares estavam ausentes, foi posto em votação o Projeto de Lei nº 004/2016 enviado pela Prefeitura Municipal e a Emenda Modificativa nº 004/2016 de autoria de parlamentares.

O projeto em questão, em sua ementa, estima a receita e fixa a despesa do Município de São José do Egito para o exercício financeiro de 2017. A emenda, por sua vez, acrescentou rubrica orçamentária do QDD 2017 (orçamento) nos itens de precatórios judiciais (sentenças) no total de R$ 1.345.000,00 (um milhão trezentos e quarenta e cinco mil reais) além de reduzir outras despesas referentes ao ano em questão.

Sem pronunciamentos sobre as matérias em pauta na Ordem do Dia, emenda e, consequentemente, projeto foram aprovados por unanimidade.

Como se tratava de sessão para votação do orçamento nenhuma outra matéria poderia entrar na agenda dos trabalhos legislativos na reunião desta segunda.

Elaine de França está nos Estados Unidos participando do Intercâmbio Internacional de Experiências Educacionais. Foto: Arquivo Pessoal

Elaine de França está nos Estados Unidos participando do Intercâmbio Internacional de Experiências Educacionais. Foto: Arquivo Pessoal

Está em Washington, nos Estados Unidos da América, a gestora da Escola Municipal Baraúna, Elaine de França Brito, para participar do Intercâmbio Internacional de Experiências Educacionais. A viagem faz parte da conquista do prêmio de Melhor Gestão Escolar, em 2015, em Pernambuco. Com a diretora se juntam mais 26 outros gestores brasileiros (cada um representando um estado do Brasil) que estiveram reunidos de 8 a 11 de novembro em Brasília para preparação antes do embarque.

Nos Estados Unidos os diretores ficarão de 13 a 28 de novembro participando das atividades desenvolvidas pela Unesco (Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura) e pela Embaixada Americana.

O prêmio “Gestão Escolar” é realizado desde 1998 e estimula a melhoria no gerenciamento de escolas públicas ao tempo em que possibilita aos diretores o acesso a um instrumento de autoavaliação dos processos de gestão e a um roteiro para o planejamento de um projeto de ação a ser construído com a comunidade escolar.

A prefeitura contribui com ajuda de custo durante os traslados e quem viabiliza as despesas com passagens, hospedagens e alimentação é a Unesco e a Embaixada Americana.

20161114_095919    20161114_100725

A Secretaria de Educação de São José do Egito em parceria com o Ministério Público de Pernambuco iniciou na manhã desta segunda-feira (14) a 3ª Semana da Diversidade. Com a presença do prefeito Romério Guimarães (PT), do promotor de justiça Aurinilton Leão, dos coordenadores do evento Rosinha Gomes e Jefferson Amorim, estudantes e representantes locais e de outros municípios de diversos segmentos (LGBT, filantrópicos, cultural, etc) a programação foi iniciada com palestra e apresentações de danças e recitais no Centro de Inclusão Digital.

Professor Cláudio Marcelo, da ETE Célia Siqueira, foi palestrante. Foto: Saojosedoegito.Net

Professor Cláudio Marcelo, da ETE Célia Siqueira, foi palestrante. Foto: Saojosedoegito.Net

Durante toda a semana, até a sexta-feira (18), diversas atividades serão desenvolvidas principalmente em escolas da rede municipal. No último dia o que deve marcar a iniciativa será a Caminhada da Diversidade (às 8h, da rodoviária até a Rua da Baixa) e o Momento Cultural (19h, no Beco de Laura).

Durantes o ciclo de palestras os temas abordados devem tratar de diversidade no mais amplo sentido, envolvendo debates sobre cultura, religião, sexualidade, etc.

O tema escolhido para esta 3ª Semana da Diversidade foi “A Cultura da Arte Contra a Cultura da Violência”.

Confira reportagem em vídeo da abertura desta 3ª Semana da Diversidade. A programação também disponibilizamos:

Programação da 3ª Semana da Diversidade em São José do Egito. Arte: Divulgação

Programação da 3ª Semana da Diversidade em São José do Egito. Arte: Divulgação

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

De cada 10 brasileiros, em média quatro pretendem gastar menos com presentes, no Natal deste ano.

As principais justificativas dadas por essas pessoas foram a necessidade de economizar e o desemprego.

Mas muitos participantes citaram, também, que têm outras prioridades, como as prestações da casa e do carro; dificuldades financeiras; perda do poder de compra, com o aumento dos preços; e até o fato de estarem endividados.

A pesquisa foi feita pelo Serviço de Proteção ao Crédito, o SPC, em parceria com a CNDL, entidade que reúne os lojistas.

Apenas sete por cento dos brasileiros não pretendem comprar presente pra ninguém. E, de cada quatro, pelo menos um admite que precisará usar o dinheiro para pagar dívidas.

Sessenta e cinco por cento dos entrevistados disseram ter a impressão de que os presentes estão mais caros, neste ano. Tanto que 85 por cento avisaram que vão pesquisar preços em busca de valores menores e de promoções.

Imagem ilustrativa

Imagem ilustrativa

Os dados ainda são parciais, mas o aumento de temperatura observado de janeiro a setembro coloca o ano de 2016 perto de quebrar o terceiro recorde consecutivo como ano mais quente do registro histórico. Eles apontam que o planeta já pode estar 1,2°C mais quente que o período pré-Revolução Industrial.

O alerta foi divulgado na manhã desta segunda-feira, 14, pela Organização Meteorológica Mundial, durante a 22.ª Conferência do Clima, que ocorre até o final da semana em Marrakesh (Marrocos). Segundo a OMM, apenas de janeiro a setembro a temperatura média do planeta foi 0,88°C maior que a média observada no período de 1961 a 1990, usado como base de referência.

Com base nesses valores, a não ser que outubro (que já parece ter sido igualmente quente), novembro e dezembro se mostrem anormalmente frios, os cientistas estimam que o ano atingirá a marca de 1,2°C acima do que o planeta experimentava antes que as emissões de gases estufa começassem a subir muito, ficando muito perto da meta de aquecer somente 1,5°C até o final do século. Este é o objetivo almejado pelo Acordo de Paris, fechado no ano passado e que entrou em vigor no último dia 4.

Segundo os pesquisadores, a não ser que sejam tomadas atitudes drásticas de redução de emissões de gases de efeito estufa, muito além das já prometidas, esta meta pode ser perdida rapidamente.

O aumento de temperatura em 2016 ainda foi favorecido pelo forte El Niño que atingiu o planeta mais fortemente no ano passado, mas continuou nos primeiros meses deste ano, contribuindo com o pico de calor. De acordo com os cientistas, porém, não foi apenas o fenômeno o responsável pelo aquecimento. “O calor extra fornecido pelo poderoso El Niño desapareceu, mas o calor do aquecimento global continua”, disse Petteri Taalas, secretário-geral da OMM.

A curva de crescimento da temperatura se tornou mais visível a partir dos anos 2000. Nesse ritmo, dos 17 anos mais quentes do registro histórico, 16 terão ocorrido neste século (1998 foi o outro ano). No jargão científico, há 95% de chance de o recorde ser batido.

 

Por: Agência Estado

torres_energia

Imagem ilustrativa

A maior cidade do interior da Paraíba, Campina Grande, e mais 72 municípios paraibanos amanheceram nesta segunda-feira (14) sem energia elétrica. O apagão teve início por volta das 5h10, horário local, e, conforme a Energisa, atingiu 80% da região central do Estado. Por volta das 10h o fornecimento de energia elétrica foi retomado em 90% das localidades afetadas. 

Segundo a concessionária de energia elétrica, 410 mil imóveis, entre residenciais e comerciais, ficaram às escuras. O apagão também afetou o funcionamento de semáforos e complicou o trânsito. Em Campina Grande, agentes da Superintendência de Trânsito e Transportes Públicos (STTP) orientaram motoristas nas principais vias. 

Em nota, a empresa responsável pela distribuição de energia lamentou a interrupção no fornecimento e explicou o que aconteceu: “A Energisa informa que desde às 5h10 desta segunda-feira, 14, a Subestação Campina Grande 2, controlada pela Chesf, está fora de operação. A suspensão do abastecimento afeta 80% da região Centro do estado, incluindo Campina Grande. A Energisa lamenta o transtorno e está em contato permanente com a Chesf para obter informações sobre a normalização do abastecimento pela mesma”. 

conversa-de-segunda-felipe-junior

DOIS BRASIS ou O BRASIL DE CÁ E O BRASIL DE LÁ

 

O brasil que atualmente

É manchete dos jornais,

Confunde-se com o Brasil

Das belezas naturais.

O Brasil que é verdadeiro

E envaidece o brasileiro,

É o mesmo país da gente;

Mas, deixando o “Brasil lindo”,

Aos porquinhos vai surgindo

Outro brasil diferente.

 

País que abraça o seu povo,

Sem dúvida, é o Brasil de cá.

Totalmente diferente

Desse tal brasil de lá.

Valorizando quem sonha,

O de cá tem mais vergonha

Pelo que foi no passado.

Enquanto o de lá disfarça

Sobre o caminho da farsa

No que deixa de legado.

 

O de cá tem mais cultura

Com músicas maravilhosas;

O de lá exalta à mídia

Do “Fank das Poderosas”.

O Brasil de cá – de graça,

Põe o seu bloco na praça

No carnaval da alegria;

E o de lá põe, com presteza,

A máscara da safadeza

No lugar da fantasia.

 

O brasil de lá venera

O deus que visa o valor;

Enquanto o de cá abraça

O seu Cristo Redentor.

O de lá levanta os muros

Sobre a base dos seus juros

Desejando o capital.

E o de cá, de braços dados,

Com seus 26 Estados

E 1 Distrito Federal.

 

O brasil de lá corrompe;

O de cá reprime o fato,

Clamando a devolução

Dos milhões da Lava-Jato.

O de cá não tem partido

E quer o pão dividido

Numa frequência diária.

Com a falácia já pronta,

O de lá não se dá conta

Da cegueira partidária.

 

Enquanto o de lá derrama

A sujeira pelos canos,

O de cá pinta o seu rosto

Pelos Direitos Humanos.

O outro brasil sem par

Tira em primeiro lugar

No ranking dos homicídios;

E entende, o Brasil de cá,

Que a solução não está

Na construção de presídios.

 

O brasil de lá ostenta

Seu falso patriotismo;

O de cá faz com que os jovens

Busquem seu protagonismo.

O de lá vê a cultura

Sem ter base de arte pura.

Diferente do daqui…

Que a cultura é necessária

Numa reta imaginária

Do Oiapoque ao Chuí.

 

No de lá tem quem se esconda

Por debaixo dos tapetes

Ou pelas trancas douradas

Dos seus próprios gabinetes.

O Brasil de cá não muda…

Não tem um “Deus nos acuda”

Pra mudar de opinião,

Pois tem sempre em sua mente

Que a mudança está presente

Na cultura e educação.

 

O Brasil de cá almeja,

E tem grande confiança,

Que um dia o brasil de lá

Trilhe os rumos da mudança;

E em vez de cavar aterros,

Que o de lá corrija os erros

Pra desatar esse nó,

Pois, vendo à luz da razão,

Pra que ter numa nação

DOIS BRASIS num Brasil só?

 

Por isso, mesmo descritos

Por diferentes perfis,

O povo tem que escolher

Só UM desses DOIS BRASIS.

Um Brasil de todos nós,

Onde o sem vez e sem voz

Fale à pátria mãe gentil

Com espírito de guerreiro

E grite pra o mundo inteiro:

SOU MUITO MAIS MEU BRASIL!

 

Felipe Júnior

 

 

– As opiniões emitidas pelos colunistas e leitores são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião do Saojosedoegito.Net.