jiu-jitso-campeonato-sul-americano-atletas-egipcienses-ganham-premios-foto-facebook-de-jeova-juniorAtletas egipcienses do Jiu-Jitsu fizeram bonito em Natal (RN) neste domingo, 16, participando do Campeonato Sul-Americano da modalidade. A equipe da “Família Caverna” subiu ao pódio várias vezes.

A competição aconteceu no Palácio dos Esportes pela manhã e a tarde. De São José do Egito saíram premiados Jeová Júnior e Yago Lopes. Destaque também para Ailton Neves, da mesma equipe, porém natural de Brejinho.

Eles contaram com o apoio da Prefeitura Municipal de São José do Egito e da Physicus Academia.

 

Resultados:

1º Lugar Adulto Pluma Azul: Yago Lopes
2º Lugar Master Leve Marrom: Ailton Neves
1º Lugar Sênior Meio Pesado Marrom: Jeová Júnior
2º Lugar Master Meio Pesado Marrom: Jeová Júnior
3º Lugar Master Absoluto Marrom: Jeová Júnior

 

Foto: Facebook de Jeová Júnior

coluna-dos-esportes

Em Afogados da Ingazeira no sábado, 15, o São José do Egito Esporte Clube Jogou contra o Ferroviário no campo da Granja Galo de Ouro. Na preliminar empatou em 2X2 e o principal ficou no 1X1.

O Coritiba da Borborema (Tabira) foi até Carnaíba enfrentar o Palmeiras do Leitão. No aspirante, empate em 1X1 e no jogo principal vitória do Coritiba por 1X0.

O São Paulo de Quixaba recebeu o Esporte de Iguaracy. Na preliminar perdeu por 3X2 e na principal também foi derrotado, 3X2.

Demais jogos (PE / PB): Independente Máster de Lagoa da Cruz jogou com o Toc de Princesa Isabel e perdeu por 2X0. O Santa Cruz Máster de Quixaba jogou em Manaíra e perdeu para equipe local por 3X2. Em São José do Egito o União enfrentou o Mulungu e perdeu por 4×1 no aspirantes e venceu por 1X0 na principal.

O Cruzeiro de Juru enfrentou a equipe do Bahia de Imaculada. Na preliminar foi 1X1 e no jogo principal vitória do Cruzeiro, 3X1. Gameleira e Grêmio de Lagoinha: Na preliminar foi 2X2 e no principal vitória do Grêmio por 2X0. Nacional de Água Branca jogou contra o Juventude da Inveja; o resultado foi Nacional 2X1 Juventude. O Cruzeiro das Lages (SJE) recebeu o Vasco de Piedade (Itapetim) e perdeu por 5X0 na preliminar e 4X0 no principal.

 

A Coluna dos Esportes é assinada por André Moraes.

 

*As opiniões emitidas pelos colunistas e leitores são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião do Saojosedoegito.Net.

dona-maria-jose-limaBelo Jardim (Agreste de Pernambuco) e São José do Egito se despedem de uma mulher que foi referência no segmento cultural de Pernambuco. Faleceu dona Maria José Lima, viúva do saudoso Mestre Ulisses Lima.

Dona Maria José, natural de São José do Egito, foi uma das responsáveis na década de 1970 pela criação da famosa Festa das Marocas (Festa da Redenção), realizada todos os anos em julho, em Belo Jardim.

Casada com mestre Ulisses Lima, reconhecido maestro, esteve em vários períodos residindo em São José quando do comando, pelo querido mestre, da Banda Musical Cícero David.

Informações extraoficiais dão conta que dona Maria José faleceu aos 100 anos no sábado, 15, no hospital Júlio Alves de Lyra. Seu corpo foi velado na Câmara de Vereadores e sepultado no domingo em Belo Jardim.

A Política entre vencedores e perdedores

conversa-de-segunda-felipe-juniorMais um pleito eleitoral se encerrou no mês de outubro/2016. A população escolheu os seus representantes municipais para o período dos próximos quatro anos. Frente às várias mudanças nas Leis n° 9.504/1997 (Lei das Eleições), nº 9.096/1995 (Lei dos Partidos Políticos) e nº 4.737/1965 (Código Eleitoral), deu-se uma disputa acirrada em todos os municípios brasileiros. Modificações como readequação dos prazos para as convenções partidárias, filiação partidária e do tempo de campanha eleitoral, que foi reduzido,    e também foi proibido o financiamento eleitoral por pessoas jurídicas.

Em São José do Egito – PE, a disputa acirrada entre os candidatos a prefeito Evandro Valadares e Romério Guimarães fez com que o resultado das urnas fosse a não reeleição do atual prefeito com uma diferença de 420 votos. Com um valor declarado à Justiça Eleitoral de R$ 3.748.756,86 (quase meio milhão a mais do que foi declarado na campanha de 2008), Evandro Valadares saiu vitorioso com um cardápio de promessas ao povo egipciense, dentre as quais estão: disponibilizar internet grátis Wi-Fi em algumas localidades do município; retomar todos os serviços médicos do Hospital Maria Rafael de Siqueira, com contratação de profissionais especializados e manutenção constante de remédios e exames; implantação de ciclovias móveis e fixa; criação do Conselho Municipal de Esportes; recriação da Feira da Agricultura Familiar, entre outras. Embora tenha abertamente falado ao público da cidade sobre a UPA (Unidade de Pronto Atendimento), o prefeito eleito esqueceu de colocar por escrito entre as suas 25 propostas na área da saúde, conforme consta no seu Plano de Governo para o período 2017-2020. Na área cultural, o seu Plano de Governo declara a criação do Conselho Municipal de Esportes, mas o Conselho Municipal de Cultura que tanto foi debatido e solicitado entre os artistas, inclusive, com a possibilidade de desmembramento da pasta de Esportes à pasta de Cultura, não se encontra no documento. Hora de pesar as consequências do voto e aprender a conviver com as suas próprias consequências .

No debate político entre “boca preta” e “vermelho”, vez por outra, pairou um diálogo violento com excitações e provocações. Intrigas, tramas, desavenças e traições são eventualidades claras no ambiente político. Todavia, o que deve prevalecer é o diálogo entre os seus agentes. Ninguém governa só. Isso é fato. A política se faz com espírito agregador e qualquer militância partidária deve seguir essa máxima. Com o prefeito eleito não será diferente, visto que o mesmo dispõe de 6 vereadores da base governista contra 7 vereadores da oposição. Mas enquanto o pleito se encerrava, o prefeito eleito festejava e os vereadores eleitos comemoravam, nas redes sociais a eleição continuava. Travava-se uma verdadeira enxurrada de desrespeito entre militantes dos dois lados. Uma verdadeira aula antidemocrática que deve servir de exemplo negativo para os agentes políticos.

A política dispõe de metodologias que tem o poder de transformar a realidade. Diante desse cenário, veem-se apenas pessoas que querem o melhor pra sua comunidade. Portanto, não há o que se falar em vencedores e perdedores. Os representantes legitimamente eleitos não devem – ou não deveriam – governar só para os “vencedores”. A perseguição política, a representação particionada, a arrogância eleitoreira e a governabilidade oligárquica não têm espaço diante da democracia representativa. A certeza disto quem diz é o próprio eleitor quando exerce o seu poder soberano de escolha através do voto elegendo ou reprovando algum candidato. E que assim seja! E que a resposta seja clara para todos os verdadeiros vencedores que tornam a democracia cada vez mais consolidada.

Sobre o autor: Felipe Júnior é poeta e professor. Formado em Filosofia com pesquisa em Filosofia Política e Gestão Pública

 

*As opiniões emitidas pelos colunistas e leitores são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião do Saojosedoegito.Net.